Satiro Sodré/SSPress/CBDA
Satiro Sodré/SSPress/CBDA

CBDA terá 'clínica do sono' para adaptar nadadores no Rio-2016

Finais da natação marcadas para as 22 horas mudam preparação de atletas

Marcio Dolzan, O Estado de S. Paulo

13 de julho de 2016 | 18h05

Preocupada com o horário avançado das finais da natação, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) realizará uma "clínica do sono" para os atletas que estarão nos Jogos Olímpicos do Rio-2016. A ação acontecerá durante o período de aclimatação da equipe brasileira em São Paulo, entre os dias 24 de julho e 2 de agosto.

As finais da natação dos Jogos do Rio foram marcadas para iniciar às 22 horas. A decisão dos organizadores partiu de uma exigência da TV americana para maximizar a audiência durante a Olimpíada, mas desagradou praticamente todos os atletas, porque as disputas acontecerão no horário mais avançado já realizado em grandes competições. Em Londres-2012, elas foram realizadas às 21h. No Troféu Maria Lenk deste ano, entre 17h e 18h.

Em provas que são decididas em centésimos de segundo, o horário de disputa acaba pesando. "A questão da luz e esse horário à noite podem influenciar. A gente já está diminuindo um pouco a nossa temperatura corporal, o que faz com que não seja o melhor momento para competir", explicou Nicolas Oliveira, especialista nas provas de 100 metros livre.

A CBDA sempre demonstrou preocupação com o problema e decidiu realizar a preparação final para a Olimpíada buscando aproximar os atletas do ambiente que encontrarão no Rio. Isso inclui até mesmo a realização da "clínica de sono" para acostumar o corpo dos nadadores.

"São muitos detalhes. Eles vão ter exposição à luz do dia quando não há mais luz do dia, vão usar óculos especiais (durante a aclimatação). Haverá horário para comer e para dormir, para estar bem azeitado nesse aspecto", afirmou Ricardo de Moura, diretor executivo da CBDA.

"Os horários de treino são próximos (aos do Rio-2016). Os atletas passam a viver o dia como se já estivessem dentro dos Jogos Olímpicos. Não será fácil, principalmente os três primeiros dias. Mas em conjunto, ficará mais fácil", declarou o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.