Edilton da Silva Santos Júnior
Edilton da Silva Santos Júnior

Centro de canoagem em cidade do medalhista Isaquias Queiroz é atingido por inundação na Bahia

Chuvas intensas no sul baiano afetam centro de treinamento em Ubaitaba; ainda não é possível avaliar a amplitude do estrago

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

27 de dezembro de 2021 | 13h38
Atualizado 27 de dezembro de 2021 | 16h25

As chuvas intensas que atingem a Bahia também afetaram o Centro de Canoagem de Ubaitaba, cidade no sul do Estado onde o campeão olímpico e mundial Isaquias Queiroz se iniciou na canoagem velocidade. Vídeos mostram que a inundação atingiu quase o teto da estrutura inaugurada em 2020.

Pelas imagens, é possível avistar apenas o telhado do Centro de Treinamento, localizado às margens do Rio de Contas, local onde canoístas locais treinam. E até o próprio Isaquias já treinou no local quando visitava familiares na cidade. A chuva forte neste mês de dezembro fez o rio transbordar, invadindo e tomando conta de toda a estrutura.

Em contato com o Estadão, a Confederação Brasileira de Canoagem informou que ainda não pôde avaliar a amplitude do estrago causado pelas águas. O centro de treinamento conta com garagem para os barcos, sala de musculação, refeitório, despensa, área de serviço, área administrativa, sala de aulas e de professores e um deck flutuante.

De acordo com moradores da vizinhança, o estrago foi menor do que o esperado. "As portas foram arrancadas, uma parede foi danificada. A estrutura parece intacta no momento", disse à reportagem Edilton da Silva Santos Júnior, morador da cidade e amigo de infância de Isaquias.

Segundo Júnior, como é mais conhecido, a direção do centro conseguiu remover caiaques e alguns objetos do centro entre sexta-feira e sábado, quando a chuva mais forte atingiu a cidade. "O que ficou foram os aparelhos de musculação, amarrados e com correntes."

O local foi erguido com a missão de se tornar um celeiro de talentos da canoagem brasileira, seguindo o exemplo dos locais Isaquias e Jacky Godmann, que ficaram em quarto lugar no C2 1000 metros na Olimpíada de Tóquio, no Japão. Dias depois, Isaquias se sagrou campeão olímpico no C1 1000m.

O dono da medalha de ouro tem laços fortes com a cidade de Ubaitaba, mas treina com os demais integrantes da seleção brasileira na cidade de Lagoa Santa, em Minas Gerais.

Vídeos enviados à reportagem mostram que não foi apenas o Centro de Canoagem que sofre com a inundação em Ubaitaba. Diversos pontos da cidade estão alagadas ou completamente inundados. Uma delas é a Avenida Vasco Neto, por onde Isaquias desfilou em carro aberto, com sua medalha no peito, após a Olimpíada de Tóquio.

"A chuva começou na sexta. O rio encheu mais do que o normal. No sábado, a chuva veio mais forte. Como o rio já estava acima do nível normal, a água não escoava. Ficou represada dentro da cidade. As ruas principais foram alagadas, garagens foram invadidas, muitos carros foram danificados. Mas, graças a Deus, não houve registro sobre mortes e desaparecimentos", conta Júnior.

Desde o fim de novembro, moradores de diversas cidades da Bahia têm sido castigados pelas tempestades que já deixaram 18 mortos, 286 feridos e cerca de 15,4 mil sem casa. No total, 72 municípios já estão em situação emergência e houve rompimento de pelo menos duas barragens, conforme dados atualizados até o domingo.

AJUDA

Preocupada com a situação em Ubaitaba, a Confederação Brasileira de Canoagem fez parceria com a Associação Cacaueira de Canoagem (ACC) para ajudar os locais. "Ao todo são mais de 19 desalojados, algumas dessas famílias são de atletas e praticantes da canoagem na região. A Associação Cacaueira de Canoagem (ACC) está mobilizando uma central de doações para que o público da Canoagem Brasileira que queira ajudar e contribuir com as famílias atingidas pelas fortes enchentes possam receber apoio", disse a entidade, em comunicado.

A confederação colocou à disposição uma chave Pix (16.240.574/0001-77) e contatos para quem puder ajudar: (73) 98162-0232 e (73) 98146-8880. "Vamos unir nossos esforços para tentar de alguma forma contribuir com essas famílias desalojadas, a nossa Vice-Presidente está mobilizada ajudando as famílias locais, vamos colocar nossos pensamentos positivos e unir nossas forças para ajudar os nossos amigos baianos", afirmou Rafael Girotto, presidente da entidade.

Tudo o que sabemos sobre:
canoagemIsaquias Queiroz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.