Eugene Hoshiko/ AP
Eugene Hoshiko/ AP

Cerimônia de abertura da Olimpíada deve ter 950 pessoas nas tribunas

Estarão presentes no evento apenas dirigentes esportivos, autoridades e jornalistas

Redação, Estadão Conteúdo

22 de julho de 2021 | 02h58

Cerimônias de abertura de Olimpíadas costumam lotar estádios. Em Tóquio, como se sabe, será diferente. Não haverá torcedores nas arquibancadas. Mas isso não quer dizer que o evento não terá público in loco. De acordo com o Comitê Organizador dos Jogos, cerca de 950 pessoas vão assistir ao evento no reformado Estádio Olímpico.

Este número inclui dirigentes esportivos, autoridades e jornalistas que estarão presentes no evento que começará às 8 horas (horário de Brasília) de sexta-feira. Das tribunas, eles vão poder acompanhar artistas e dançarinos em suas performances no gramado do estádio, além dos atletas.

A organização não revelou o número de atletas que vão comparecer ao evento. Mas é certo que cada delegação levará número reduzido, justamente por causa da pandemia de covid-19. O grupo de esportistas de cada país será apenas simbólico para evitar aglomeração e manter o distanciamento social em meio ao aumento do número de casos da nova doença na capital japonesa nos últimos dias.

O governo metropolitano de Tóquio confirmou na quarta-feira 1.832 novos casos de infecções, no maior registro para um único dia desde 16 de janeiro. Em comparação com a quarta-feira da semana anterior, a contagem diária aumentou em 683 casos. Especialistas em saúde pública alertam que, se o vírus continuar a se espalhar no ritmo atual, as infecções diárias na capital poderiam atingir um recorde de cerca de 2.600 em agosto, durante a Olimpíada.

Nesta quinta, a organização revelou mais quatro casos de covid-19 dentro da Vila Olímpica, sendo dois atletas, já afastados para iniciar quarentena. Com estes novos casos, a conta de testes positivos para a covid-19 em pessoas ligadas à Olimpíada chegou a 91.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.