China admite morte de policial e manifestante pró-Tibete

Polícia chinesa fazia ataque para prender homem procurado; na troca de tiros, dois morreram

Redação

30 de abril de 2008 | 17h59

Dois tibetanos - um policial e um suposto líder de um protesto - foram mortos em uma troca de tiros no noroeste da China, num ataque policial para prender um homem procurado. É a primeira vez que a China anuncia que um manifestante pró-Tibete foi morto, desde que começaram os protestos contra o país, em março. Cedain, policial morto no confronto, que havia entrado para a polícia em 1996, entrou para o Partido Comunista Chinês em 2003 e tinha o cargo de fazer investigações criminais em Dari, local do conflito. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.