China cancela cobertura jornalística da tocha no Everest

A China cancelou o acesso da imprensa àsaída da tocha olímpica do Acampamento-Base Norte do Everest,quando haverá a tentativa de levar a chama até o pontoculminante do planeta, no começo de maio. A imprensa estrangeira credenciada para o evento foiinformada na terça-feira, véspera do embarque, que a viagemseria adiada para sábado e parcialmente cancelada. O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim (Bocog,na sigla em inglês) atribuiu a mudança de planos ao mau tempono Tibete, em cuja fronteira com o Nepal fica o Everest. As autoridades também informaram que a imprensa não poderáestar presente quando a tocha sair do Acampamento-Base Nortecom direção ao cume. "Foi cancelado tanto para a imprensa chinesa quanto para ainternacional", disse Shao Shiwei, vice-diretor de mídia doBocog, em entrevista coletiva. Agora, a imprensa deixará Pequim na hora em que a expediçãocom a tocha estiver deixando o acampamento. Os jornalistas irãodiretamente para o Everest via Lhasa (capital do Tibete),passando dos 54 metros de altitude para 5.360 metros em trêsdias. Wang Hui, porta-voz do Bocog, negou que a mudança de planostenha alguma relação com os recentes distúrbios no Tibete earredores. "Não se trata do Tibete. Tentamos ao máximo arranjar issopara vocês, (mas) é tudo por causa das condições climáticasincertas", afirmou o porta-voz. De acordo com Shao, as mudanças foram adotadas para que aimprensa não tenha de passar longos períodos noacampamento-base antes da tentativa de escalada. Sobre a orientação médica de evitar mudanças muito bruscasde altitude, Wang disse que "não seria possível" para osjornalistas se aclimatarem durante alguns dias em Lhasa. "Quando recebermos a mensagem do centro de comando de campoteremos de partir imediatamente. Não poderíamos fazer isso sevocês estivessem espalhados por Lhasa", explicou. Adversários do regime chinês e simpatizantes da causatibetana vêm promovendo manifestações à passagem da tocha emtodo o mundo. O incidente que mais irritou os chineses foi oataque à atleta para-olímpica Jin Jing durante o percurso porParis. (Por Nick Mulvenney e Nick Macfie)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.