China convida 'órfãos da AIDS' para os Jogos

Iniciativa da Unicef possibilitará que jovens de todo o país assistam às provas das Olimpíadas

Ansa

29 de julho de 2008 | 09h38

Cem crianças chinesas, órfãs por causa da Aids, estarão em Pequim durante os Jogos Olímpicos para participar de um acampamento de férias especial. Os jovens, provenientes de todo o país, poderão assistir diversas provas das Olimpíadas, visitarão os estádios e outras localidades em Pequim e terão encontros com vinte estrelas do mundo do esporte e do espetáculo. Além das crianças órfãs, duzentos jovens voluntários vão participar do acampamento. A iniciativa foi promovida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pelo Comitê Nacional Chinês pela Tutela das Crianças (CNCCC), para sensibilizar o país em relação à questão. Na China, segundo a Unicef, pelo menos 140 mil crianças no final de 2005 eram órfãs por causa da doença e cerca de 500 mil viviam com os pais portadores do HIV. Os dados do Ministério da Saúde chinês apontam a existência de 700 mil portadores do vírus no país no final de 2007, dos quais 85 mil desenvolveram a Aids. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.