China é mais aberta que Rússia em 1980, diz Samaranch

Chineses tem um pouco de tudo neste momento, ao contrário dos russos, diz o espanhol, ex-presidente do COI

Mark Elkington, REUTERS

26 de fevereiro de 2008 | 11h38

Dar à China o direito de organizar a Olimpíada de 2008 foi menos arriscado do que conceder à União Soviética os Jogos de 1980, disse o ex-presidente o Comitê Olímpico Internacional Juan Antonio Samaranch. "A China fez mudanças impressionantes", disse o espanhol, de 87 anos, em entrevista com o jornal esportivo Marca desta terça-feira. "Foi bem mais arriscado dar a Moscou os Jogos de 1980. O regime chinês era e é mais aberto do que o que existia na União Soviética naquela época. Muito mais. A China se abriu e mudou radicalmente", disse. "A China tem bolsa de valores, milionários... um pouco de tudo. O que aconteceu com uma população de milhões é que a vida de 500, 600 milhões de pessoas melhorou muito, mas em outros setores, como na agricultura, eles ficaram para trás." Samaranch, que foi presidente do COI de 1980 a 2001, lembrou sua primeira visita à China, em 1978, quando era embaixador da Espanha na União Soviética. "Naquele tempo, a China não fazia parte do COI porque Taiwan estava envolvido na República da China", acrescentou. Samaranch também foi perguntado sobre o histórico de direitos humanos na China e sobre a decisão do cineasta de Hollywood Steven Spielberg de abandonar seu envolvimento artístico com os Jogos, devido à política chinesa com relação ao Sudão. "Respeito a opinião de todo mundo. Mas se eu falar de direitos humanos e do que acontece na China, isso também acontece em muitos outros países", disse ele. Os Jogos Olímpicos deste ano acontecem em Pequim, em agosto.

Tudo o que sabemos sobre:
OLIMPCHINAMOSCOU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.