Chineses rebatem críticas sobre aeroportos para os Jogos 2008

Autoridades chinesas dizem que estão investindo pesado e questionam números apresentados pela revista Forbes

Ansa,

24 de janeiro de 2008 | 12h45

O Aeroporto Internacional de Pequim "não merece" a baixa avaliação feita pela revista Forbes, segundo a qual este é o segundo pior aeroporto do mundo atrás apenas do de Brasília, comentou nesta quinta-feira seu diretor-geral. "No Aeroporto Internacional de Pequim, que está se expandindo em vista das Olimpíadas, chegaram no horário em 2007 apenas 33% dos vôos, tornando-o o pior atrás apenas do de Brasília", escreveu a revista.  Em uma entrevista à agência Nova China, o diretor, Dong Zhiyi, afirmou que "as estatísticas demonstram" que, se forem excluídas as tempestades de areia de junho e agosto, 84,88% dos vôos chegaram no horário.  Dong não forneceu números para os três meses "difíceis", mas sustentou que "se houver mau tempo em agosto durante as Olimpíadas, o aeroporto está absolutamente preparado para tomar medidas de emergência e a coordenar com os outros aeroportos e com todas as companhias aéreas para limitar os atrasos". A Aviação Civil chinesa, a Caac, anunciou que as companhias aéreas cujos aviões chegarem com atraso serão punidas com um bloqueio de dois anos na concessão de novas rotas. O novo terminal em construção, o de número 3, ficará pronto no final do próximo mês de fevereiro, acrescentou Dong.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.