Isabella de Maddalena/NYT
Isabella de Maddalena/NYT

Cidades de 7 países manifestam interesse em receber os Jogos de Inverno de 2026

Três cidades italianas, uma austríaca, uma canadense, uma japonesa, uma sueca, uma suíça e uma turca se candidataram

Estadão Conteúdo

03 Abril 2018 | 10h38

O Comitê Olímpico Internacional (COI) informou nesta terça-feira que cidades de sete países manifestaram formalmente interesse em receber os Jogos Olímpicos de Inverno de 2026. A votação para a sede dessa competição acontecerá em setembro de 2019.

+ Melhor brasileiro na neve, jovem de 15 anos mira ir à Paralimpíada no atletismo

+ União das Coreias é destaque também na abertura da Paralimpíada de Inverno

O destaque fica para a Itália, que tem três cidades pré-candidatas: Cortina d'Ampezzo, Milão e Turim. Também inicialmente estão na disputa a Áustria (Graz), Canadá (Calgary), Japão (Sapporo), Suécia (Estocolmo), Suíça (Sion) e Turquia (Erzurum).

Esse é o primeiro grupo de cidades que se candidata aos Jogos após as reformas anunciadas pelo COI, que preveem uma análise mais criteriosa, de olho na eficiência nos custos das obras e transparência no processo de escolha.

"Não queremos apenas bater o recorde de candidatos, mas selecionar a melhor cidade em receber os Jogos Olímpicos de Inverno e que ofereçam o melhor aos melhores atletas do mundo", disse o presidente do COI, Thomas Bach.

A fala do dirigente tem referência ao pouco interesse das cidades em receber os Jogos de Inverno de 2022. Na época, antes da adoção das medidas por mais transparência, apenas dois países formalizaram a candidatura. A cidade escolhida para abrigar a competição foi Pequim, na China.

O COI também informou que, assim que a cidade for confirmada sede, em 2019, os sete anos de preparação para os jogos contarão com mais apoio da entidade e do Movimento Olímpico. A prioridade, segundo o mandatário do COI, está em deixar um legado para o país que receberá a competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.