José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Cielo minimiza finais da natação à noite na Olimpíada do Rio

Nadador brasileiro relembra Olimpíada de Pequim, quando críticas foram feitas às provas da categoria realizadas pela manhã

Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2014 | 21h17

De volta aos treinos em Belo Horizonte, após brilhar no Mundial de Piscina Curta em Doha, Cesar Cielo já começou a pensar na Olimpíada do Rio. E deu sua opinião sobre a polêmica das finais da natação dos Jogos, que serão disputadas à noite - algumas poderão ter início somente às 22 horas. Para o principal nadador do País, a disputa noturna não deve ser motivo de preocupação por parte dos atletas.

"Vamos ter de nos adaptar à grade horária da competição. Nos Jogos de Pequim foram de manhã e, na época, muita gente não gostou. Temos de jogar o jogo da TV, o jogo do dinheiro, não tem jeito", declarou Cielo, após retomar os treinos no Minas Tênis, em Belo Horizonte.

"Se a final for à meia-noite, então vai ter de se preparar para nadar à meia-noite. Só espero que a piscina esteja prontinha, coberta, porque é frio à meia-noite no Rio e nadar uma final em piscina aberta, nesse horário, não vai ser muito legal, não", completou o nadador, dono de cinco medalhas no Mundial disputado no Catar.

A programação da natação foi divulgada na semana passada e rapidamente gerou críticas, principalmente por parte do Comitê Olímpico da Austrália, país com grande tradição na modalidade. Os horários, contudo, ainda dependem de aprovação do Comitê Olímpico Internacional (COI).

NOVO DEGRAU
Cielo acredita que a natação brasileira tem todas as condições de fazer uma grande apresentação no Rio, apesar da programação noturna. Na sua avaliação, a equipe nacional subiu um degrau em Doha e não apenas por conta dos resultados obtidos - o Brasil terminou na primeira colocação do quadra de medalhas, com sete ouros.

Para Cielo, os nadadores mostraram profissionalismo e seriedade, o que contribuiu para a união do grupo em Doha. "De 2008 para cá é perceptível a evolução que tivemos com relação à seriedade das pessoas mesmo, é impressionante como a equipe está super profissional. Se alguém não vai nadar, fica na torcida, ajuda os outros da forma que pode. Quem vai nadar fica concentrado, sem fazer nenhum tipo de bobagem que possa atrapalhar o desempenho", afirmou.

Os bons resultados também deram forte contribuição para a motivação dos nadadores, que já pensam no Rio/2016. "Saímos de Doha com essa energia e acho que esse pessoal vai surpreender na semana que vem, no Open. Devem começar a aparecer uns resultados de longa aí, acho que a equipe para o Pan e o Mundial de Kazan vai começar a se formar na semana que vem. Pelo jeito e pela forma como saímos de Doha, alguns resultados vão ser bem surpreendentes", projetou.

Antes de sair de férias, Cielo vai representar o Minas no Open, na piscina do Botafogo, no Rio. Depois terá folga antes de iniciar a temporada 2015, cujo foco estará no Mundial de Kazan, na Rússia. A competição é disputada em piscina longa, de 50 metros, e tem maior prestígio que o Mundial de Doha, em piscina de 25 metros. "A partir de janeiro, vai ser um ano e meio de correria [até a Olimpíada do Rio]", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio-2016nataçãoCesar Cielo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.