Fabio Motta/ Estadão
Fabio Motta/ Estadão

Cielo sai da final do Maria Lenk e fica fora dos 100m livre

Brasileiro é o atual recordista mundial da prova

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

18 de abril de 2016 | 14h04

Cesar Cielo conquistou na manhã desta segunda-feira seu primeiro índice olímpico, mas a marca de 48s97 conquistada na eliminatória dos 100m livre do Troféu Maria Lenk – dois centésimos abaixo do mínimo necessário – ainda não lhe dá certeza de que ele será convocado para o revezamento 4x100 livre nos Jogos Olímpicos. No momento, há seis atletas com melhores marcas do que Cielo. Apesar disso, ele decidiu não disputar a final dos 100m livre no final da tarde, para se preservar para a disputa dos 50m, na quarta.

Com a marca alcançada na eliminatória e com a decisão de ficar de fora da final, já é certo que Cesar Cielo não disputará a prova de 100m livre nos Jogos do Rio, prova na qual conquistou bronze em Pequim-2008. Assim, ele só estará na Olimpíada se for convocado pelos técnicos da seleção para integrar o time que disputará o revezamento 4x100. O problema é que, para isso, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) teria que deixar para trás três nadadores com melhores marcas do que ele. 

O tempo de Cielo foi apenas o quinto entre os brasileiros na eliminatória. Marcelo Chierighini (48s20), Nicolas Nilo (48s30), João de Luca (48s59) e Gabriel Santos (48s89) nadaram mais rápido. Matheus Santana (48s71) e Alan Vitória (48s96), já haviam conquistado marcas melhores que Cielo no Open de Palhoça, em dezembro passado. Nesta segunda, Santana também foi à final com 49s30.

Na avaliação de Cesar Cielo, o importante é estar com o índice olímpico carimbado, já que a definição do quarteto para o revezamento passa por escolha da CBDA. “Vou falar com os técnicos e é decisão deles de me colocar ou não. Estando no time eu estou disposto a nadar, estou disposto a ajudar. Mais do que conquistar a vaga entre os cinco (nesta manhã), eu tenho que estar lá. Então eu vou tentar conquistar a vaga na quarta-feira nos 50m e aí, se precisar de mim na hora da Olimpíada, eu vou estar preparado pra nadar também.”

Ele demonstrou resignação com o seu tempo nesta segunda-feira. “Eu vim com a expectativa de tentar fazer 48s. Saiu 48,97, então está dentro do que a gente estava programando”, comentou um exausto e aliviado Cesar Cielo, logo após deixar a piscina. “Eu não treinei para essa prova. Pra falar a verdade eu estava até um pouquinho ansioso com a estratégia, porque a gente realmente não chegou nem a competir muito os 100m livre.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.