Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Manoela Penna/COB
Manoela Penna/COB

Cinco modalidades do Brasil chegam a Tóquio e Zanetti festeja 'clima olímpico'

Atletas da ginástica artística, tiro esportivo, skate, badminton e esgrima desembarcam no Japão para o início dos Jogos

Redação, Estadão Conteúdo

18 de julho de 2021 | 12h36

Aos poucos, a equipe brasileira em Tóquio vai aumentando. Neste domingo, cinco modalidades adentraram a Vila Olímpica, com atletas da ginástica artística, tiro esportivo, skate, badminton e esgrima. Esperança de medalha, Arthur Zanetti festejou, enfim, estar vivendo o "clima olímpico."

"Agora entramos no clima dos Jogos Olímpicos. Estamos chegando de um período excelente de preparação em Doha e temos que seguir passo a passo. Na quarta-feira, temos o treino de pódio, que será muito importante, e agora é continuar a preparação com tranquilidade", afirmou o ginasta. "Não quero me cobrar por nota, por resultado, mas simplesmente fazer o meu melhor e sair satisfeito", seguiu o campeão olímpico, prestes a disputar sua terceira Olimpíada.

Os protocolos de segurança com a prevenção de covid-19 chamaram atenção ao atleta especialista nas argolas. "Por toda situação que o mundo passa, temos de seguir um protocolo bem rígido, da chegada ao aeroporto até a entrada na Vila Olímpica. Para mim, essa será a Olimpíada da diversidade."

Quem também estava impressionada era Felipe Wu, do tiro esportivo. "Desde o momento que o avião pousou já começamos a sentir que eles estão com um cuidado muito grande", observou. "No aeroporto, todas as medidas de controle sanitário foram adotadas. Será uma edição de Jogos Olímpicos bem diferente, mas agora que chegamos à Vila o controle já fica mais simples e vamos entrando no esquema de como tudo funciona. Mas, realmente é uma experiência totalmente diferente."

"Talvez por tudo que aconteceu em relação à pandemia, estou sentindo mais motivação do que pressão. Fiquei um ano sem competir, treinei muito, e agora o meu desejo de competir é maior do que qualquer tipo de pressão. Trazer uma medalha para o Brasil é o meu sonho", revelou a esgrimista Nathalie Moellhausen.

Ainda neste domingo, aumentaram a hospedagem brasileira na Vila Olímpica os atletas do vôlei de praia, da natação e do tênis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.