Clayton de Souza/ Estadão
Clayton de Souza/ Estadão

Classificado para a primeira final, Isaquias Queiroz quer três medalhas no Rio

Além dos 1.000m na categoria C1, ele ainda vai disputar mais duas provas na Olimpíada

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

15 Agosto 2016 | 10h48

Principal nome da canoagem de velocidade brasileira, Isaquias Queiroz teve uma grande estreia nos Jogos do Rio nesta segunda-feira, dia em que começou a disputar a primeira das três provas que fará na Olimpíada. Na eliminatória do C1 1.000m, ele fez o tempo mais rápido de sua bateria e se classificou direto para a final, que será disputada na terça. Após a prova, Isaquias não se fez de rogado e mandou o aviso: "Vim muito treinado pra cá pra buscar três medalhas, independente das cores".

O brasileiro fez o segundo melhor tempo da classificação geral, atrás apenas do alemão Sebastian Brendel, atual campeão olímpico dos 1.000m. "Na final, dá para ir um pouco mais forte e disputar com o Brendler, que é o cara a ser batido nessa Olimpíada", avaliou Isaquias. "Foi muito boa prova, eu gostei. Espero chegar e realizar um pouco melhor na final."

A disputa pela medalha acontece nesta terça, a partir das 9h. Além dessa prova, Isaquias Queiroz também irá disputar os 200m individual e os 1.000m da C2, realizada em dupla. Ele se diz preparado para encarar todas elas em busca de pódio.

"O atleta se dedica quatro anos para uma Olimpíada, e os quatro anos estão acabando. São mais cinco ou seis dias para acabar esses quatro anos. Foi muito cansativo, me dediquei muito. Nos últimos dias, eu estava com muita sede de competir, vim pra cá e chegou este momento. Quero executar bem e conseguir um feito histórico para o Brasil e para a canoagem", afirmou.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Adicione o número (11) 99371-2832 aos seus contatos, mande um WhatsApp para nós e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio-2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.