Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

COB fica 'aliviado' com o adiamento dos Jogos Olímpicos para 2021

Paulo Wanderley, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, diz que concentração de todos os esforços deve estar no combate à pandemia

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2020 | 15h11

Paulo Wanderley, presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), afirmou ter ficado "aliviado" com o adiamento de um ano dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, por causa da pandemia do novo coronavírus. "Tenho certeza de que este também é o sentimento de nossos atletas, com quem tínhamos a maior preocupação e cuidado", disse o dirigente, nesta terça-feira, em um vídeo gravado.

"Desta forma, teremos a oportunidade de oferecer uma melhor preparação para os Jogos. A comunidade do Brasil está bastante satisfeita", disse o presidente, referindo-se às competições que deverão ocorrer, segundo o Comitê Organizador, até meados do ano que vem, no verão do hemisfério norte.

"Sempre tivemos confiança de que o presidente Thomas Bach (presidente do COI) seria capaz de liderar com serenidade e segurança o Movimento Olímpico nesse momento histórico", afirmou o dirigente, que havia se manifestado no último sábado favorável a uma mudança de data dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

Segundo Paulo Wanderley, a concentração de todos os esforços deve estar com combate à pandemia do novo coronavírus. "Estaremos todos juntos contra este adversário perigoso. Usando da resiliência, coragem e trabalho em equipe, tantos valores que o esporte nos ensina seremos capazes de vencer juntos o coronavírus", finalizou.

Desde o início da pandemia, o COB tem priorizado a saúde e o bem-estar dos atletas brasileiros e colaboradores. Há duas semanas, a entidade cancelou eventos públicos e preparatórios para os Jogos, colocou funcionários em sistema de home office e determinou na última terça-feira o fechamento total do CT Time Brasil.

"Vamos continuar o trabalho de preparação da delegação com base no que já havíamos feito para julho deste ano. Mas, é claro, trata-se de uma situação nova em que temos diversas questões que precisamos buscar respostas. Teremos que replanejar, fazer novos estudos, falar com nossos patrocinadores e fornecedores, conversar com as nossas bases no Japão, entre outros. Seguiremos trabalhando para oferecer uma estrutura de excelência ao Time Brasil", disse o diretor-geral do COB, o ex-judoca campeão olímpico Rogério Sampaio.

"Ainda precisamos aguardar a definição da nova data, pois o prazo até o verão de 2021 no hemisfério norte não significa necessariamente que será no mesmo período que seria em 2020, pode ser até antes. Com essa informação teremos mais segurança para readequar o planejamento e definir novos prazos de modo a garantir que nossos atletas tenham as melhores condições de preparação, qualificação e performance nos Jogos", afirmou o vice-presidente do COB e Chefe de Missão nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Marco Antônio La Porta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.