Cris Porcelli|Inovafoto|COB|Divulgação
Cris Porcelli|Inovafoto|COB|Divulgação

COB reúne atletas para 'antecipar experiência olímpica'

Objetivo é manter competidores com foco na disputa

Marcio Dolzan, O Estado de S. Paulo

22 de abril de 2016 | 17h40

Com 428 atletas já confirmados para os Jogos Olímpicos do Rio-2016, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) reuniu nesta sexta-feira parte da equipe para "antecipar a vivência olímpica". Ao todo, 53 atletas de natação, nado sincronizado, remo, tae kwon do, canoagem, boxe e ginástica de trampolim tiveram um dia de palestras e debates sobre temas do cotidiano de uma Olimpíada. A ideia é evitar deslumbramentos e ajudar os competidores a manterem o foco na disputa.

Esse foi o segundo encontro realizado pelo COB, e a intenção é que todos os classificados participem até julho. "O foco deste encontro é a preparação final da delegação brasileira nos Jogos. Mais do que nunca, nesta reta final, os detalhes são importantes", frisou a medalhista olímpica Adriana Beahr, que é gerente-geral de planejamento esportivo da entidade.

"A proposta é integrar e antecipar a experiência olímpica. É um dia de experiência, de vivência e de troca de informações", explicou. "A gente passa informações sobre a operação do Time Brasil, informação sobre a Vila Olímpica, sobre uniformes da delegação, sobre vários assuntos que a gente entende que são de interesse do atleta."

A iniciativa foi bem vista pelos atletas. "Minha primeira experiência, em Pequim, era tudo novidade, tudo muito novo. Esse tipo de preparação é superimportante para você não ficar perdida e gastar energia à toa", disse Lara Teixeira, capitã da equipe de nado sincronizado. "Quando você entra na Vila Olímpica você tem que estar 100% focada no seu treino."

O ponto alto do encontro foram os depoimentos dos ex-jogadores de vôlei Giba, dono de três medalhas olímpicas, incluindo a de ouro em Atenas-2004, e Shelda, prata em Sydney-2000 e Atenas-2004. Eles falaram sobre as dificuldades que os atletas terão pela frente e a importância de manter a concentração na disputa.

"É minha primeira Olimpíada, e a gente pode escutar de atletas que foram bem sucedidos, como foi a experiência deles, o nervosismo, o que passaram numa vitória, tudo é uma coisa que agrega muito valor", afirmou a remadora Fernanda Nunes. "Eu gostaria que houvesse mais encontros como esse até a Olimpíada."

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos OlímpicosCOBOlimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.