Andrej Isakovic/AFP
Andrej Isakovic/AFP

COI exige que russos participem dos Jogos de Tóquio com a sigla do Comitê Olímpico Russo

Após escândalo de doping, atletas não vão poder defender a bandeira do próprio país na Olimpíada

Redação, Estadão Conteúdo

19 de fevereiro de 2021 | 14h02

Com o nome da Rússia banido nas próximos dois Jogos Olímpicos, por causa dos inúmeros casos de doping, suas equipes e atletas vão participar das competições com a sigla "ROC", (Comitê Olímpico Russo). A informação foi dada, nesta sexta-feira, pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Uma decisão do Tribunal Arbitral do Esporte (CAS) em dezembro baniu o nome do time da Rússia, bandeira e hino nacional dos Jogos Olímpicos de Tóquio este ano e o de inverno de 2022, em Pequim.

A bandeira da equipe russa em Tóquio e Pequim será o símbolo da ROC - uma chama olímpica com listras brancas, azuis e vermelhas da bandeira nacional acima dos cinco anéis olímpicos.

Uma peça musical para substituir o hino russo nas cerimônias de medalha de ouro ainda está sendo estudada. "O Comitê Olímpico Russo apresentará uma proposta musical para ser tocada em todas as cerimônias", revelou o COI.

Na disputa dos Jogos Olímpicos de Inverno em Pyeongchang, na Coreia do Sul, em 2018, os competidores russos foram chamados como "atleta olímpico da Rússia".

Outra punição imposta aos esportistas russos foi aplicada pela Federação Internacional de Atletismo, que exige que os russos compitam como Atletas Neutros Autorizados (ANA) em campeonatos mundiais.

Nos campeonatos mundiais de esportes de inverno este ano, os russos competiram sob nomes como Federação Russa de Esqui (RSF) ou Federação Russa Luge (RLF).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.