COI pressiona China por acesso à internet durante os Jogos

Contrato assinado prevê que a imprensa deve ter acesso com a mesma liberdade de eventos anteriores

Nick Mulvenney, Reuters

01 de abril de 2008 | 09h14

Inspetores do Comitê Olímpico Internacional (COI) disseram aos organizadores da Olimpíada de Pequim que o acesso à internet deve ser aberto durante os Jogos. A internet é frequentemente censurada na China, mas o país se comprometeu com o "contrato de cidade-sede", que estabelece que deve-se dar aos cerca de 30 mil profissionais de imprensa que cobrirão os Jogos a mesma liberdade que receberam em Olimpíadas anteriores. "Nesta manhã, discutimos e insistimos de novo... que a internet será aberta o tempo todo durante a Olimpíada", disse o vice-presidente da comissão de coordenação do COI, Kevan Gosper, a repórteres. "Nas últimas semanas, houve críticas quanto às restrições na internet durante os eventos relacionados ao Tibet, mas os Jogos ainda não começaram". "Nossa preocupação é que, durante os Jogos, a imprensa possa operar da mesma forma que atuou em edições anteriores", acrescentou Gosper, durante as inspeções aos preparativos para o evento, que acontece entre 8 r 24 de agosto. "Estou satisfeito, porque os chineses entenderam essa necessidade e vão fazer isso." O australiano, que também é chefe do Comitê de Imprensa do COI, disse que bloquear a Internet durante os jogos "daria uma projeção muito pobre" ao país-sede, mas confia que os chineses cumpram as obrigações estabelecidas pelo acordo. "Eles têm um comprometimento enorme e mudaram extensivamente sua legislação para permitir a atuação da imprensa internacional nos Jogos", disse. "Em relação a todas as questões que foram motivo de preocupação, eles cumpriram o acordo, então não vemos nenhuma razão para não fazerem isso agora", acrescentou. Novas leis aliviaram as restrições à mídia internacional a partir de 1 de janeiro do ano passado, mas terminam em outubro deste ano. De terça a quinta-feira, a Comissão de Coordenação vai fazer a décima e última série de reuniões com os organizadores de Pequim.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008COIChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.