COI publica atualização de regras de direitos para Internet

Os sites da Internet poderão publicarum número ilimitado de fotos e artigos de notícias sobre osJogos Olímpicos de Pequim --e os endereços da Austrália poderãoinclusive exibir vídeos curtos pela primeira vez- como parte denovas diretrizes de mídia. Dois eventos esportivos internacionais foram afetados pordisputas com grupos de mídia em 2007, por conta dos direitos detransmissão, mas as regras atualizadas do Comitê OlímpicoInternacional (COI) para Pequim, publicadas nesta terça-feira,pareceram muito mais liberais. De acordo com as regras, os grupos de mídia podem utilizarseus próprios web sites para divulgar coberturas escritas efotográficas dos jogos, contanto que seja para uso jornalísticonormal e editorial. "A Internet é um meio importante para a comunicação epromoção do esporte e do movimento olímpico", dizem asdiretrizes do COI. "O COI entende que as organizações de imprensa integrarameste meio em seus ofícios e que atualizarão seus sites comconteúdo baseado na Olimpíada para chegar ao público online emelhor servir aos torcedores." A organização de notícias "Bona fide" terá a permissão detransmitir via Internet tudo ou uma parte das coletivas deimprensa que acontecerem no Centro de Imprensa, com um atrasode 30 minutos. Mas a maioria dos sites não poderá carregar qualquer tipode clipe de áudio ou vídeo para a Internet por que esses sãoprotegidos por direitos de propriedade intelectual concedidosaos portadores licenciados. Entretanto, este não será o caso da Austrália. Em uma atitude inédita para a cobertura dos JogosOlímpicos, os sites de Internet da Austrália poderão exibirvídeos curtos online graças a um acordo entre o COI e a SevenNetwork. Segundo o acerto, sites não oficiais terão a permissão deexibir de eventos olímpicos por dia em clipes de 60 segundos,mas terão que "geobloquear" seus endereços para que usuários defora da Austrália não possam acessá-los. Kevan Gosper, membro senior australiano do COI, disse em umjornal da Austrália que outros países poderiam seguir ainiciativa quando souberem do acordo. "É uma evolução bastante significativa", disse. "O COI temestado, por um bom tempo, na dianteira para apoiar ambos osdireitos dos portadores como também o acesso justo à notíciasobre as Olimpíadas para a imprensa mundial."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.