Lionel Bonaventure/AFP
Lionel Bonaventure/AFP

Com 18 campeões olímpicos, Brasil terá 302 atletas e 75% da delegação vacinada em Tóquio

COB informa que 271 competidores brasileira receberam a primeira dose e 226, a segunda

Redação, Estadão Conteúdo

13 de julho de 2021 | 12h52

A dez dias da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o Comitê Olímpico do Brasil já está com a operação a todo vapor. Com equipes espalhadas por oito bases exclusivas, além de estruturas montadas na Vila Olímpica e em duas vilas satélites, o Time Brasil terá uma delegação recorde no Japão: 302 atletas, em 35 modalidades, maiores números da história do país em uma edição realizada no exterior, e 18 substitutos, número diferente do divulgado anteriormente. O COB informou ainda que 271 foram vacinados com primeira dose e 226 com a segunda, ou seja 75% da delegação está imunizada. A imunização nunca foi obrigatória pelo COI. O que é obrigatório é fazer os testes nos prazos estipulados e ter os resultados negativos. 

Em Tóquio, o Time Brasil contará com a participação de 31 medalhistas olímpicos, sendo 18 campeões: Arthur Zanetti, da ginástica artística; Thiago Braz, do atletismo; Rodrigo Pessoa, do hipismo saltos; Kahena Kunze, Martine Grael e Robert Scheidt, da vela; Bruninho, Douglas Souza, Fernanda Garay, Lucão, Lucarelli, Maurício Borges, Maurício Souza, Natália, Tandara e Wallace, do vôlei; e Alison e Bruno Schmidt, do vôlei de praia.

"Planejamos a missão para os Jogos de Tóquio durante anos. O fuso horário e os hábitos alimentares eram um grande desafio, mas não imaginávamos sequer que teríamos um desafio ainda maior com a pandemia. É importante ter os atletas em sua melhor performance possível, mas tê-los seguros é essencial", afirmou Marco La Porta, vice-presidente do COB e Chefe de Missão em Tóquio. "Antigamente, chegávamos aos Jogos com cinco a sete modalidades com chances de medalha. Hoje, passamos de dez. Estamos ansiosos para ver nossos atletas atingirem suas melhores performances durante os Jogos Olímpicos", completou.

A equipe brasileira será composta por 161 homens (53,5%) e 140 mulheres (46,5%). Nesta contagem não estão incluídos os 18 atletas "alternates", denominação do Comitê Olímpico Internacional (COI) para eventuais substitutos em modalidades específicas - para o Brasil são no handebol, futebol, tênis de mesa, atletismo e hipismo. Já 174 atletas farão a sua estreia no maior evento esportivo do mundo.

Ao todo, 79 atletas já se encontram em solo japonês até esta terça-feira. São integrantes das seguintes modalidades: canoagem slalom, vela, judô, rúgbi, boxe, vôlei de praia, natação, tênis de mesa e handebol masculino. Nos próximos dois dias está prevista a chegada de outros 50 competidores - do handebol feminino e do vôlei nesta quarta; e do tae kwon do, hipismo adestramento e parte da equipe do judô na quinta.

"Das 50 modalidades em disputa, nos classificamos em 35 (70%). É um número significativo. Temos uma delegação de qualidade, com atletas que conquistaram resultados expressivos nos últimos anos e que vão fazer seu melhor para trazer alegria e orgulho para a população brasileira. Essa é uma das nossas metas. Mais do que trazer medalhas, trazer alegria para todos que nos acompanham. Viemos buscar a melhor representação esportiva para o nosso país", explicou Jorge Bichara, diretor de Esportes do COB.

EM TÓQUIO

 A terça-feira ficou marcada também pela abertura da Vila Olímpica. Oficiais do Time Brasil já estão no local cuidando dos últimos detalhes antes da chegada dos atletas brasileiros. João Victor Oliva, do hipismo adestramento, será o primeiro a conhecer o local, nesta quinta-feira. Já a canoísta Ana Sátila foi a primeira a desembarcar no Japão, há uma semana.

"A caminhada foi muito desafiadora para os atletas. No início da pandemia, não conseguíamos treinar e passamos por muita dificuldade. Então, foi uma felicidade muito grande poder entrar no Japão depois de tudo isso e também especial ter sido a primeira a chegar aqui", disse Ana Sátila, que participa dos Jogos pela terceira vez na carreira.

COVID-19

Desde o embarque dos atletas no Brasil até a chegada no Japão, o COB vem colocando em prática todo planejamento estabelecido contra contágio de covid-19. Os atletas estão sendo testados diariamente e seguem rigorosos protocolos de segurança contra o vírus. "Dos nossos 301 atletas, 271 foram vacinados com primeira dose e 226 com a segunda dose, ou seja 75% da nossa delegação está vacinada. Isso nos traz bastante segurança. Além de todo material de proteção, o COB trouxe 6 mil testes de antígeno para o Japão. Estamos usando esses testes em pessoas que chegam próximo à nossa delegação, como nossos motoristas e equipe de alimentação, por exemplo", disse a médica Ana Carolina Corte, coordenadora de serviços médicos da entidade.

Esses mesmos protocolos foram reforçados no hotel onde seis atletas olímpicos de judô estão hospedados em Hamamatsu, onde cinco funcionários testaram positivo antes da chegada da deleção brasileira ao hotel. Nenhuma dessas pessoas teve contato com os atletas brasileiros. Apenas os testes são obrigatórios pelo COI, as vacinas não são. Portanto, é possível que atletas brasileiros e de outros países entrem no Japão sem a vacina. Eles precisam, no entanto, apresentar os testes nos prazos estabelecidos e negativados. Também fazem o exame paraa covid quando desembarcam em Tóquio.

"A delegação utiliza um elevador próprio no hotel, usamos máscara N95, higiene de mãos todo o tempo, alimentação num local exclusivo e testagem diária de todos do hotel e de nossa delegação. Isso tudo nos ajudar a monitorar nossos atletas e a garantir a saúde deles", disse a Ana Carolina Corte, informando ainda que os cinco funcionários foram imediatamente isolados, inclusive as pessoas que tiveram contato próximo, e estão sendo acompanhados regularmente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.