Com 3 medalhas no dia, Brasil sobe no quadro, mas não deve alcançar meta do COB

Entidade projetava número em torno de 25 medalhas

Agência Estado, Estadão Conteúdo

21 de agosto de 2016 | 00h57

Os três pódios conquistados neste sábado fizeram o Brasil subir novamente no quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos do Rio. No entanto, a delegação nacional tem chances remotas de alcançar a meta estabelecida pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) de terminar a Olimpíada entre os dez primeiros do quadro, por número de pódios.

Neste sábado, o Brasil faturou três medalhas. No início do dia, Isaquias Queiroz e Erlon de Souza conquistaram a prata na prova C2 1.000 metros da canoagem velocidade, na Lagoa Rodrigo de Freitas. À noite, a seleção brasileira de futebol masculino derrotou a Alemanha nos pênaltis e faturou o inédito ouro, no Maracanã.

Poucos minutos depois, Maicon Andrade ganhou um inesperado bronze no tae kwon do, mesmo sem estar entre os cotados à medalha na modalidade. Com estes resultados, o Brasil trocou o 15º pelo 13º lugar no quadro de medalhas, de acordo com a contagem total de medalhas - e não de ouros.

Com 18 medalhas conquistadas, o Brasil tem ao menos mais uma garantida, no vôlei masculino, que decide o ouro com a Itália, neste domingo, último dia dos Jogos Olímpicos. Há ainda possibilidades remotas na maratona masculina e outras provas que encerram a Olimpíada.

Desta forma, é improvável que a delegação anfitriã alcance as 22 medalhas que o Canadá já conquistou. O time canadense ocupa no momento a 10ª colocação geral no quadro definido por número de pódios. Entre Brasil e Canadá, estão Coreia do Sul, na 11ª posição (21), e Holanda, na 12ª (18).

 

Desde que o Rio foi escolhido como cidade-sede dos Jogos, o COB estabeleceu como meta terminar a competição na 10ª posição geral no quadro por número de medalhas. Para tanto, calculou que o Brasil deveria acumular por volta de 28 pódios.

Nos últimos meses, a entidade redefiniu que um número por volta de 25 poderia ser o suficiente para atingir o 10º lugar. Agora, somente um resultado inesperado neste domingo levaria o Brasil ao número de 20 medalhas, o que mesmo assim seria insuficiente para chegar ao 10º posto no quadro.

Enquanto isso, os Estados Unidos asseguraram neste sábado o título simbólico de campeão da primeira Olimpíada disputada na América do Sul. Com 116 medalhas no total, sendo 43 de ouro, 37 de prata e 36 de bronze, a delegação norte-americana não pode mais ser alcançada pelos rivais Grã-Bretanha e China.

Sedes das últimas duas edições dos Jogos, os dois países vão decidir neste domingo quem ficará em segundo no quadro geral. No momento, com uma campanha surpreendente no Rio, o time britânico segue em segundo lugar no quadro definido por números de ouros, com 27, contra 26 dos chineses. No número total, a China está na frente, com 70 pódios, diante de 66 dos britânicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.