Yuri Cortez / AFP
Yuri Cortez / AFP

Com o vôlei feminino na final, Brasil bate o recorde de medalhas na história dos Jogos Olímpicos

Delegação brasileira tem pelo menos 20 pódios garantidos e ultrapassa desempenho da Rio-2016, quando registrou 19 medalhas

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2021 | 10h46

A vitória do Brasil diante da Coreia do Sul pela semifinal do  vôlei feminino foi histórica. Com o resultado, o País bateu em Tóquio o recorde de medalhas em uma edição dos Jogos Olímpicos. A marca anterior havia sido conquistada na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, com 19 pódios.

Nos Jogos de Tóquio, o Time Brasil já colocou 16 medalhas no peito (quatro ouros, quatro pratas e oito bronzes) e tem mais quatro pódios garantidos. São duas finais no boxe, com Bia Ferreira e Hebert Conceição, o futebol masculino, que decide o ouro diante da Espanha, neste sábado, e, claro, o vôlei feminino, que encara os Estados Unidos na madrugada de domingo, às 1h30.

No boxe, o puglista Hebert Conceição encara o ucraniano Oleksandr Khyzhniak na decisão da categoria 69-75kg, marcada para a madrugada de sábado, às 2h45 (de Brasília). Já Bia Ferreira enfrenta a irlandesa Kellie Harrington no dia seguinte, às 2h, em busca de mais uma medalha de ouro para o Brasil.       

Esse número ainda pode aumentar, já que o hipismo brasileiro está na final por equipes dos saltos, e Isaquias Queiroz tem boas chances de conquistar uma medalha na canoa individual, prova de 1.000m.  Ele é um dos favoritos e já garantiu a prata nos Jogos Olímpicos do Rio.

Até o momento, o Brasil conquistou ouro com o surfista Italo Ferreira - 1º campeão olímpico da modalidade -, a ginasta Rebeca Andrade, no salto, a dupla Martine Grael e Kahena Kunze - bicampeãs olímpicas na classe 49er FX-, e Ana Marcela Cunha, na maratona aquática. 

No individual geral, a atleta da ginástica artística Rebeca Andrade também conquistou a prata, assim como os skatistas Kelvin Hoefler, Pedro Barros e Rayssa Leal. 

O bronze veio com os nadadores Fernando Scheffer e Bruno Fratus, os judocas Daniel Cargnin e Mayra Aguiar, Alison dos Santos e Thiago Braz no atletismo, a dupla de tenistas Laura Pigossi e Luisa Stefani e no boxe com Abner Teixeira. 

A delegação brasileira em Tóquio tem três atletas que conquistaram medalhas também na Rio-2016. Thiago Braz, do salto com vara, havia conquistado o ouro em casa. As velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze conseguiram o bicampeonato na classe 49er FX. A seleção masculina de futebol tem a chance do bicampeonato neste sábado, após vencer a Alemanha na final há cinco anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpíada 2020 Tóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.