Jonne Roriz/Exemplus/COB
Jonne Roriz/Exemplus/COB

Com penteado da sorte, Jéssica Vitoria vai em busca do pódio no atletismo

Brasileira participa da prova dos 400 m com barreiras nos Jogos da Juventude

Paulo Favero / Enviado especial / Buenos Aires, O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2018 | 05h00

Jéssica Vitoria Moreira vai em busca do pódio nos 400 m com barreiras nesta terça-feira na pista de atletismo do Parque Olímpico dos Jogos da Juventude, que estão sendo disputados em Buenos Aires. No primeiro dia de disputa, ela fez o segundo melhor tempo da prova, atrás apenas da colombiana Valeria Cabezas Caracas.

A garota de 16 anos que começou a correr por brincadeira quer dar certo na pista de atletismo, caso contrário cogita ser cabeleireira. "Acho que é a única coisa que sei fazer", brinca a atleta, que tem ajudado suas companheiras de equipe fazendo tranças nos cabelos delas.

A brasileira chega para a prova final dos 400 m com barreiras com o tempo de 59s41, o melhor de sua vida, atrás apenas da colombiana Caracas, que fez 59s19. Para a formação do pódio, leva-se em conta a soma do tempo das duas provas. Com isso, a brasileira já está em vantagem em relação a todas as outras competidoras e, se mantiver um bom tempo, tem tudo para ganhar a medalha.

"Sinceramente, eu esperava ir um pouco melhor, bati bastante nas barreiras. Mesmo assim consegui baixar meu tempo e vamos ver como será a próxima prova. Agora estou conseguindo ser mais rápida", comenta a atleta, que é de Guariba, no interior de São Paulo.

Jéssica sempre gostou de correr, mas sempre foi como brincadeira. Seus dois irmãos já treinavam e certo dia um técnico a convidou para treinar. "Antes de começar na modalidade, eu já gostava de correr. Sempre corria mais que os meninos e aos 14 anos comecei a treinar mais a sério", conta.

Em pouco tempo, ela já se tornou campeã brasileira sub-18 nos 400 m com barreiras e vice-campeã sul-americana. Também foi campeã mundial sub-18 no revezamento 4 x 400 m misto. Agora, sonha com um pódio olímpico e espera que suas tranças a ajudem a ser mais veloz. "Esse é meu penteado da sorte", avisa.

 

 

 

Mais conteúdo sobre:
Jogos Olímpicos da Juventude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.