Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Evento-teste do triatlo para os Jogos Olímpicos do Rio é aprovado

Não houve maiores problemas nas provas em Copacabana

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

02 de agosto de 2015 | 19h14

O segundo dos 45 eventos-teste para os Jogos do Rio-2016 foi realizado neste fim de semana e com resultado satisfatório. Não houve maiores problemas nas provas de triatlo e paratriatlo realizadas em Copacabana, mas alguns ajustes terão que ser feitos.

Isso estava previsto pelo próprio Comitê Rio-2016. "Vamos encontrar erros, e gostaria que fossem muitos", chegou a dizer na sexta-feira o diretor de Esportes do comitê, Rodrigo Garcia. "É para isso que um evento-teste serve, para vermos os problemas e resolvê-los para a Olimpíada."

No total, 150 atletas e 60 para-atletas participaram do evento, que dava três vagas no feminino e três no masculino para os Jogos do ano que vem. Em geral, a avaliação sobre o percurso foi positiva, mas alguns competidores reclamaram do asfalto irregular de Copacabana que influencia diretamente na prova de ciclismo e corrida.

Após o evento, o secretário municipal de Transportes do Rio, Rafael Picciani, reconheceu os problemas e prometeu corrigi-los para os Jogos. Falta de visibilidade do público que acompanhava da praia também foi constatada, principalmente na linha de chegada, onde um tablado foi instalado, elevando a altura em relação a quem assistia da areia.

Mesmo com número menor de competidores em relação aos Jogos do próximo ano, um bom contingente foi utilizado na organização do evento. No total, 70 funcionários do Comitê Rio e 500 voluntários estiveram envolvidos. Além do trabalho nas ruas do bairro, o serviço também incluiu controle de doping, cronometragem e gestão dos resultados.

A segurança na região também foi reforçada. Neste domingo, 600 agentes da Guarda Municipal trabalharam em função do evento, além de homens da tropa de choque e da Polícia Militar.

A prova feminina foi vencida pela norte-americana Gwen Jorgensen. Com 12 vitórias consecutivas, ela é a atual líder do circuito mundial e percorreu o trajeto carioca em 1h56min46. Pâmella Oliveira chegou em 15.º lugar e foi a melhor brasileira, com o tempo de 2h02min10.

Entre os homens, o vencedor foi o espanhol Javier Gomez Noya, medalhista de prata nos Jogos de Londres, que completou o percurso em 1h48m26. Danilo Pimentel fez o melhor tempo entre os brasileiros (1h51min47) e ficou em 32º.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.