Panic Bothma / EFE
Panic Bothma / EFE

Com quatro medalhas de ouro, lutador Mijaín López iguala lendas olímpicas como Phelps e Carl Lewis

Aos 38 anos, cubano conquistou o primeiro lugar na luta greco-romana nos Jogos de Tóquio, Pequim, Londres e no Rio de Janeiro

Redação, O Estado de S. Paulo

02 de agosto de 2021 | 12h20

Com a quarta medalha de ouro consecutiva na luta greco-romana, conquistada nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, o cubano Mijaín López entrou para a história olímpica ao igualar o feito de lendas como Carl Lewis e Al Oerter no atletismo e Michael Phelps na natação. Eles são os únicos atletas da história com quatro títulos olímpicos na mesma prova.

Na decisão da categoria até 130 quilos, a maior da luta greco-romanda, o cubano venceu o georgiano Iakobi Kajaia por 5 a 0. Assim que a vitória foi definida, o técnico Raúl Trujillo entrou no tatame para cumprimentar López, como havia feito nos Jogos do Rio-2016.

A quarta medalha rendeu uma videochamada com o presidente de Cuba, Míguel Días-Canel. “Quatro medalhas olímpicas de ouro para sua Pátria. Nenhum ponto perdido nos Jogos de Tóquio. Quanta coragem, quanta valentia. Temos grande respeito e admiração por você. Cuba te admira e te abraça”, escreveu o presidente nas redes sociais. 

Perto de completar 39 anos, o cubano foi enigmático sobre seu futuro. “No ano que vem, devo decidir se continuo ou se encerro minha carreira. A idade também influencia. Eu chegaria (aos Jogos de Paris-2024) com 41 anos e tenho que pensar muito bem. Uma derrota para mim seria muito difícil”, disse o cubano.

A campanha foi perfeita. O tetracampeão não cedeu nenhum ponto aos rivais nos quatro combates que disputou em Tóquio.O cubano aplicou um 4 a 0 tanto nas oitavas de final diante do romeno Alin Alexuc quanto nas quartas de final diante do iraniano Amin Mirzazadeh. Nas semifinais, vitória sobre seu eterno rival, o turco Riza Kayaalp por 3 a 0, antes dos 5 a 0 na final olímpica.

Quem chegou mais perto do feito de López na luta greco-romana foi o russo Alexander Karelin, que soma quatro medalhas, mas foram três de ouro e uma prata entre 1988 e 2000.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.