Reuters
Reuters

Comitê italiano anuncia Roma fora da disputa pelos Jogos de 2024: 'O jogo acabou'

Candidatura enfrentou forte oposição após o conselho da cidade votar contra a possibilidade de sediar a Olimpíada

Estadão Conteúdo

11 de outubro de 2016 | 10h25

A Itália suspendeu nesta terça-feira a candidatura de Roma para os Jogos Olímpicos de 2024, após ser forçada a desistir de sediar o evento diante da firme oposição da prefeita da cidade. O presidente do Comitê Olímpico Italiano, Giovanni Malago, disse que escreveu ao Comitê Olímpico Internacional (COI) para anunciar a decisão de "interromper a candidatura".

Enquanto a carta deixa aberta uma pequena possibilidade de um renascimento da candidatura se ocorrer uma mudança no governo da cidade, Malago não exibiu muita esperança. "Hoje o jogo acabou. Mas se alguém decidir que o jogo não acabou, isso não depende de nós. Mas hoje nós estamos terminando o jogo", disse Malago à agência de notícias The Associated Press após o anúncio em uma entrevista coletiva. "É isso".

A decisão vem após o conselho da cidade de Roma votar no mês passado para retirar o apoio para a candidatura diante da recomendação da prefeita Virginia Raggi. "O comitê de candidatura está oficialmente liquidado a partir de hoje", disse Malago. "É uma grande ferida para nós. Espero que eles percebam o quão ruim é a impressão que deixaram".

O COI disse que "tomou nota" da decisão e "irá explorar mais com o comitê de candidatura o que isso significa". "Todas as circunstâncias e as informações que recebemos nos últimos dias demonstram claramente que se trata apenas da política italiana", declarou o COI.

A desistência de Roma deixa apenas Los Angeles, Paris e Budapeste na disputa pela sede dos Jogos de 2024. O COI escolherá a cidade anfitriã em setembro de 2017.

É também a segunda vez em quatro anos que uma candidatura de Roma é retirada ou suspensa. Em 2012, o então primeiro-ministro Mario Monti descartou a candidatura da cidade para os Jogos Olímpicos de 2020 por causa de preocupações financeiras.

Na esperança de recuperar a confiança do COI, Malago disse que ofereceu Milão para sediar o congresso da entidade em 2019. "Este é o primeiro passo da reabilitação da Itália após esta inaceitável interrupção", disse Malago. "Outra noite eu tive a oportunidade de discutir esta possibilidade com (o presidente do COI) Thomas Bach e o diretor-geral do COI, Christophe De Kepper, e há amplo apoio a esta ideia". "Esta é uma maneira de virar a página e seguir em frente", acrescentou Malago.

Embora a desistência de Roma conte com componentes políticos, a decisão é mais um sinal das dificuldades do COI de mostrar que organizar uma edição da Olimpíada é uma bênção, e não um fardo.

No mês passado, uma comissão do governo da cidade de Tóquio alertou que o custo dos Jogos de 2020 pode ultrapassar os US$ 30 bilhões (aproximadamente R$ 96 bilhões), mais de quatro vezes a estimativa inicial.

Os eleitores de Hamburgo rejeitaram a candidatura da cidade alemã para 2024 em um referendo. Em meio a falta de apoio político e da população, Boston desistiu da Olimpíada de 2020, sendo substituída por Los Angeles como a candidatura norte-americana.

Além disso, quatro cidades abandonaram a disputa para receber os Jogos de Inverno de 2022, deixando apenas dois candidatos na eleição em que Pequim superou Almaty.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.