Comitê Olímpico Europeu garante neutralidade em escolha da sede dos Jogos de 2024

Um dia depois de uma resolução conjunta dos comitês olímpicos nacionais de 16 países do centro e do leste da Europa apoiando a candidatura de Budapeste para ser sede dos Jogos Olímpicos de 2024, o Comitê Olímpico Europeu (EOC, na sigla em inglês) emitiu comunicado para garantir que vai manter a neutralidade na escolha. Além de Budapeste, capital da Hungria, também Roma, Hamburgo e Paris estão no pleito contra Los Angeles.

Estadão Conteúdo

24 Novembro 2015 | 14h53

"O EOC não endossa o comunicado (de segunda-feira). Com quatro cidades da Europa como candidatas, o EOC vai manter sua neutralidade como todas a vezes", garantiu o órgão. O posicionamento foi exigido porque a resolução publicada na segunda-feira aconteceu em meio a uma reunião da EOC em Roma.

Nesta terça, o EOC lembrou que o Comitê Olímpico Internacional (COI) exige o voto secreto no processo de escolha da sedes olímpicas e veta a "discussão pública" do voto. "Portanto, não é apropriado concluir que os membros do COI que são da região seguirão a orientação", alertou.

Assinam o documento em apoio a Budapeste os comitês nacionais de Albânia, Áustria, Bósnia-Herzegovina, Bulgária, Croácia, Chipre, República Checa, Grécia, Macedônia, Montenegro, Polônia, Romênia, Sérvia, Eslováquia, Eslovênia e Turquia.

Dos países europeus que ficam a leste de Berlim, apenas as antigas repúblicas soviéticas não assinaram o documento: Moldávia, Ucrânia, Bielo-Rússia, Estônia, Letônia, Lituânia, Azerbaijão, Rússia e Geórgia. A decisão sobre a sede dos Jogos de 2024 será tomada em setembro de 2017.

Mais conteúdo sobre:
Jogos Olímpicos Jogos de 2024 Budapeste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.