Comitê Organizador critica resolução da Câmara dos EUA

País quer que governo chinês coloque fim à violação dos direitos humanos; Bocog não quer politização dos Jogos

Ansa

31 de julho de 2008 | 12h41

O Comitê Organizador das Olimpíadas de Pequim (Bocog) criticou, julgando "uma tentativa de politização dos Jogos", uma resolução aprovada nessa quarta-feira pela Câmara dos Representantes dos Estados Unidos na qual se pede ao governo chinês que coloque um fim à violação dos direitos humanos, cessando também o apoio aos governos do Sudão e de Mianmar. "Já dissemos muito claramente que somos contrários a qualquer forma de politização dos Jogos", disse o porta-voz do Bocog, Sun Wiede, citado pela agência oficial Nova China. "No que se refere aos direitos humanos, os preparativos para as Olimpíadas promoveram os progresso social e econômico na China e facilitaram uma melhor compreensão entre a China e o resto do mundo", acrescentou Wiede. Ainda nessa quinta-feira o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Liu Jianchao, criticou um encontro ocorrido na última terça-feira entre o presidente norte-americano, George W. Bush, e cinco ativistas chineses, entre eles o líder uigur Rebiya Kadeer e o famoso dissidente Wei Jingsheng. Durante o encontro, Bush, que estará presente em Pequim para a cerimônia de abertura, prometeu levar uma "mensagem de liberdade" às Olimpíadas.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.