Hélvio Romero|Estadão
Hélvio Romero|Estadão

Crianças brincam, pulam, gritam... se divertem

Arthur, Catalina e Giulia gostaram muito da presença de Aline Silva na escola

O Estado de S. Paulo

10 de maio de 2016 | 15h05

Arthur, Catalina e Giulia estão esgotados, mas felizes. Os três alunos dos Colégio Dante Alighieri participaram intensamente dos exercícios proporcionados pela lutadora Aline Silva. Foi um teste de fogo para os estudantes. "Eu adoro luta. Vejo boxe, MMA, não conhecia a luta olímpica, mas gostei bastante", disse o menino de 11 anos, que quer ver o astro Stephen Curry, da seleção norte-americana de basquete, nos Jogos Olímpicos do Rio - a garotada acompanha a NBA com regularidade.

Aline Silva fez questão de 'testar' e ensinar alguns golpes com a molecada. O Esporte em Ação, do Estadão, tem esse compromisso: o de despertar dos jovens o interesse por modalidades olímpicas.

Giulia, de 10 anos, não gosta muito de luta, mas aprovou a presença de Aline Silva em sua escola. "É sempre muito legal quando temos a visita de uma atleta famosa, dessas que disputam os Jogos Olímpicos", afirmou a menina, com as bochechas rosadas por causa do esforço durante os exercícios. Ela prefere ver e praticar vôlei e basquete, duas de suas modalidades preferidas.

Já Catalina, também de 10 anos, é praticante de capoeira e mostrou intimidade com os movimentos da luta olímpica. A menina é fã de ginástica e da norte-americana Gabby Douglas. "Vocês poderiam trazer a Daiane dos Santos", afirmou, referindo-se à ex-atleta olímpica do Brasil. O Estadão tem convidados miutos atletas para o evento, mas nem todos conseguem abrir suas agendas, sempre atoladas de compromissos.

Além da prática, os alunos também mostraram interesse em saber destalhes da vida e da carreira de Aline Silva, a ponto do professor Farina brincar com  eles: "Se vocês continuarem a fazer tantas perguntas, vamos ter pouco tempo para os exercícios." Cada golpe de Aline foi seguido de uma comemoração muito grande das crianças, quase como se tivesem ganhando uma medalha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.