Cuba ganhará três ouros no boxe em Pequim, diz tricampeão

O boxeador Félix Savón, tricampeãoolímpico na categoria de até 91 quilos, disse nesta sexta-feiraque Cuba ganhará pelo menos três medalhas de outro no torneiodo esporte, nos Jogos de Pequim, e descartou a possibilidade deos Estados Unidos estarem em condições de vencer a competiçãopor equipes. Savón ganhou sucessivamente as medalhas de ouro nos Jogosde Barcelona em 1992, Atlanta em 1996 e Sidney em 2000, umafaçanha só igualada na história das Olimpíadas pelo tambémcubano Teófilo Stevenson e pelo húngaro Lazlo Papp. "O boxe cubano poderá ganhar umas seis medalhas, sendo trêsde ouro nas Olimpíadas de Pequim", disse o ex-boxeador a umaemissora de rádio local. Os boxeadores de Cuba conquistaram cinco medalhas de ouro,duas de prata e uma de bronze nos Jogos de Atenas em 2004. No entanto, três dos titulares na Grécia desertaram no fimde dezembro de 2006, em Caracas, outro pugilista se aposentou eum terceiro está em Havana sem boxear oficialmente, depois deuma tentativa frustrada de desertar em julho de 2007, duranteos Jogos Panamericanos, no Rio de Janeiro. "A equipe cubana é uma das favoritas para ganhar o torneio(olímpico) apesar de sua juventude e da força da Rússia e doCazaquistão", afirmou Savón, também hexacampeão mundial dacategoria de até 91 kilos. Rússia e o Cazaquistão são equipes de muito potencial,disse o boxeador. Savón, que se aposentou depois dos Jogos de Sidney em 2000,disse que os rivais de Cuba na Olimpíada têm "estudado" aequipe da ilha, que ganhou 32 ouros desde os Jogos de Muniqueem 1972 até Atenas em 2004. Os Estados Unidos -- disse Savón -- "não têm o nívelsuficiente para poder ganhar a medalha por equipes em Pequim",mas poderiam conseguir ficar entre as quatro ou cincoprimeiros. (Reportagem de Nelson Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.