CURTAS-Yane vai mal no hipismo e fica em 18o no pentatlo

Campeã dos Jogos Pan-Americanos do Rio,a brasileira Yane Marques ficou na 18a colocação na prova dopentatlo dos Jogos de Pequim. A alemã Lena Schoneborn levou oouro, a britânica Heather Fell ficou com a medalha de prata, eo bronze foi para a ucraniana Victoria Tereshuk. A brasileira ocupava a sexta posição no geral após as trêsprimeiras provas do dia: tiro, esgrima e natação. Mas com o 33olugar no hipismo, caiu para a 15a posição e largou na corrida,prova decisiva, 1min22s atrás da líder. Para Yane, seu resultado final não foi melhor devido aosorteio dos cavalos. "Quando sorteou o cavalo, a gente foifalar com os nativos. Aí eles disseram que esse cavalo tem queter muita vontade para saltar. É um cavalo muito difícil. Saltae abaixa a cabeça", disse. 41o NA MARCHA Mário Santos terminou a marcha atlética de 50 quilômetrosem 41o lugar, com o tempo de 4h10min25s, 33min16 atrás domedalhista de ouro, o italiano Alex Schwaren. "A prova foi muito difícil. Fico feliz pela colocação.Treinei muito para fazer uma prova progressiva, ganhandoposições nos últimos 10km. Chegar foi incrível", disse Santos. Na prova, os marchadores deram 24 voltas num pequeno espaçomontado fora do estádio. ÚLTIMO NA GRD A equipe brasileira de ginástica rítmica ficou em 12o eúltimo lugar na etapa classificatória, com 29.125 pontos, e nãose classificou para a final. Belarus liderou a eliminatória,com 34.950 pontos. As brasileiras tiveram uma falha num dos movimentos com oaro, que caiu fora de hora, o que prejudicou a equipe, apesarde o ritmo de samba ter empolgado os espectadores. LESÃO NO GLÚTEO Uma contratura no glúteo sofrida na prova do salto emdistância na quinta-feira fez com que o brasileiro CarlosChinin queimasse suas três tentativas no arremesso de peso dodecatlo logo em seguida. Mais tarde, mesmo sentido dores, ele disputou o salto emaltura e os 400m rasos, e foi dormir torcendo para se recuperarpara o segundo e último dia da competição. Mas o descanso não foi o suficiente e Chinin teve queabandonar a competição, deixando de comparecer à primeira provadesta sexta-feira, os 110m com barreiras. Ele estava no 31olugar após o primeiro dia de competição. DEFESA O ex-velocista Frankie Fredericks defendeu o tricampeãoolímpico Usain Bolt depois de o chefe do Comitê OlímpicoInternacional ter dito que o jamaicano mostrou falta derespeito com os adversários. Jacques Rogge não gostou de Bolt ter levantado os braçosantes de cruzar a linha de chegada dos 100 metros rasos com onovo recorde mundial de 9s69. "As pessoas treinam por um longo período e ele estavafazendo história. Talvez esse seja o jeito de ele dizer 'fizalgo que nunca ninguém fez"', disse Fredericks, presidente dacomissão de atletas do COI e prata nos 100 e 200 metros dosJogos de 1992 e 1996.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.