Reuters
Reuters

Custos das cerimônias da Olimpíada de 2020 aumentam 40%

Valor gasto com os dois eventos estará limitado a 13 bilhões de ienes (cerca de R$ 440 milhões)

Redação, Estadão Conteúdo

15 de fevereiro de 2019 | 11h26

Os custos das cerimônia de abertura e encerramento da Olimpíada de 2020, aumentaram cerca de 40%. De acordo com Toshiro Muto, chefe-execuivo do Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio, o valor gasto com os dois eventos estará limitado a 13 bilhões de ienes (cerca de R$ 440 milhões).

A revelação do valor foi realizada aos membros do comitê executivo da organização da Olimpíada e representa um aumento relevante, pois em 2013, quando venceu o processo de definição da sede dos Jogos de 2020, Tóquio havia declarado que o custo para essas cerimônias seria de 9,1 bilhões de ienes (R$ 310 milhões, na cotação atual).

Apesar do aumento, Muto disse que o orçamento operacional privado de 600 bilhões de ienes (R$ 202 bilhões) ficará inalterado. Ele assegurou que havia um fundo de reserva para evitar o impacto desse aumento. "Usando os Jogos Olímpicos de Londres como modelo, este é o mínimo que precisamos gastar para fazer o trabalho", disse Muto.

No total, Tóquio está gastando pelo menos US$ 20 bilhões (pelo menos R$ 74 bilhões) para preparar a cidade para a Olimpíada. Excluindo o orçamento operacional, o restante está dividido entre governos nacional, da cidade e regional.

Mansai Nomura, renomado ator de teatro japonês, é o diretor criativo para as cerimônias de abertura e encerramento da Olimpíada e Paralimpíada. A Olimpíada começará em 24 de julho e terminará em 9 de agosto de 2020, enquanto os Jogos Paralímpicos estão previstos para 25 de agosto a 6 de setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.