Reuters
Reuters

Custos de Paris-2024 serão revisados antes do final do ano

Existe a possibilidade até de diminuir o número de atletas no evento

AFP, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2020 | 10h08

Os responsáveis pela organização dos Jogos Olímpicos de Paris-2024 prometeram revisar os riscos de haver custos excedentes causados pela pandemia de coronavírus "antes do final do ano" e estão dispostos a reduzir o número de atletas no evento, disse nesta quarta-feira uma fonte do Eliseu após uma reunião sobre esse assunto. 

"Pode haver um debate que o Comitê Olímpico Internacional (COI) esteja disposto a ouvir sobre o número de atletas (10.500 planejados para Paris-2024) que são enviados para os Jogos e sobre a maneira pela qual um certo número de modalidades são organizadas" informou a fonte do Eliseu a vários jornalistas após uma reunião entre o presidente da França, Emmanuel Macron, e os presidentes do COI, Thomas Bach, e do Comitê Organizador de Paris-2024, Tony Estanguet.

Segundo essa fonte, "o número de classificados em uma modalidade" tem consequências nos custos devido ao "tamanho da Vila Olímpica", que deve ser construída entre agora e 2024 em Saint-Denis (norte de Paris), onde o número de leitos previstos já foi reduzido de 18.000 para 15.000. 

O orçamento para os Jogos de Paris-2024 alcança no momento 7,7 bilhões de dólares, dos quais 4,3 bilhões de dólares correspondem ao orçamento do Comitê Organizador local, que corresponde quase inteiramente à renda privada (patrocínios, venda de ingressos, contribuição do COI). 

O restante corresponde a diferentes investimentos das autoridades francesas, regionais e municipais em infraestrutura e instalações, como a Vila Olímpica ou a Vila da Mídia, que após os Jogos Olímpicos serão transformadas em áreas residenciais.

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpíada 2024 Pariscoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.