Aleksandra Szmiegel/Reuters
Aleksandra Szmiegel/Reuters

De Grasse atinge ápice na Olimpíada de Tóquio com ouro inédito nos 200 metros

Velocista canadense se tornou 'herdeiro' de Usain Bolt ao vencer prova dominada pelo jamaicano nas últimas três Olimpíadas

Redação, Estadão Conteúdo

04 de agosto de 2021 | 12h20

Quando Usain Bolt ainda era considerado o melhor velocista do mundo, Andre De Grasse era o principal nome a suceder o posto deixado pelo jamaicano. Até então com quatro medalhas, três no Rio-2016 e o bronze nos 100 metros na Olimpíada de Tóquio-2020, o canadense finalmente conseguiu nesta quarta-feira, na capital japonesa, o tão sonhado ouro na prova dos 200 metros, cravando o seu nome na história como um dos maiores velocistas dos últimos tempos.

Na final disputada no estádio Olímpico de Tóquio, De Grasse marcou o tempo de 19s62, novo recorde de seu país. Para completar o pódio veio a dobradinha dos Estados Unidos, com Kenneth Bednarek (19s68) e Noah Lyles (19s74).

Em uma arrancada fulminante, similar à estratégia usada nas épocas áureas de Bolt, De Grasse ultrapassou Bednarek depois da curva e, na reta final, confirmou o seu favoritismo na prova, colocando no peito a sua primeira medalha de ouro da carreira.

Melhor da temporada 2021, a marca obtida por De Grasse nesta quarta-feira foi a oitava da história da prova, atrás dos jamaicanos Bolt e Yohan Blake e dos americanos Michael Johnson, Justin Gatlin, Tyson Gay, Noah Lyles e Walter Dix.

Grande candidato a sucessor de Bolt, De Grasse já tinha quatro medalhas em olimpíadas e quatro em Mundiais, mas ainda não tinha uma de ouro. Ele foi vice-campeão dos 200 metros nos Jogos do Rio-2016 e também no Mundial de 2019.

Em outra final nesta quarta-feira, o Quênia confirmou o favoritismo e conseguiu uma dobradinha no pódio dos 800 metros. Emmanuel Korir deu duas voltas na pista do Estádio Olímpico de Tóquio em 1min45s06 para garantir o ouro. Seu compatriota Ferguson Rotich apertou o passo no fim para ultrapassar Pavel Dobek e levar a medalha de prata em 1min45s23. O polonês fechou o pódio com 1min45s39.

]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.