Gabriela Sabau/ IJF
Gabriela Sabau/ IJF

De olho nos Jogos Olímpicos, atletas brasileiros embarcam para período de treinos em Portugal

Fazem parte da primeira leva as equipes de boxe, ginástica, judô, nado artístico e natação

Raul Vitor, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2020 | 05h00

Os primeiros atletas brasileiros participantes da Missão Europa embarcam nesta sexta-feira, dia 17, para treinar em Portugal. O programa se estenderá até dezembro, período no qual esses atletas irão se preparar para os Jogos de Tóquio. Fazem parte da primeira leva as equipes de boxe, ginástica, judô, nado artístico e natação.

"A autorização de entrada para o Time Brasil em Portugal se baseou nas condições especiais previstas para brasileiros em exercício de atividade profissional no país. A legislação recentemente publicada em Portugal prevê condições especiais para atividades de natureza profissional, o que no entendimento do governo local se aplica à missão olímpica brasileira. Portugal têm estruturas de treinamentos muito boas e já havia um acordo para servir como a principal base de aclimatação do Time Brasil para os Jogos Olímpicos de Paris 2024", disse Jorge Bichara, diretor de esportes do Comitê Olímpico do Brasil (COB) ao Estadão.

De acordo com Maria Portela, integrante da seleção brasileira de judô, que treinará no Centro de Treinamento de Rio Maior e, posteriormente, parte rumo a Coimbra para treinamentos em conjunto com a seleção portuguesa, a saída encontrada pelo COB foi uma "sacada" muito boa. Ainda não há previsão de retorno no Brasil de treinos de sua modalidade, que envolve contato e é praticamente impossível realizar as atividades sem aproximação.

"Esse retorno será muito positivo, tanto para nossa preparação quanto para nossa questão psicológica. Voltaremos a sentir que somos atletas. Estamos desde março sem colocar as mãos no quimono. A intensidade do restabelecimento de nossas rotinas será gradual, mas voltar a se sentir atleta, voltar a se sentir vivo, me deixa muito feliz", revela Portela.

A atleta acredita que a concentração de atletas no Brasil só poderá ocorrer quando a situação epidemiológica do País estiver mais branda. Ele não vê essa condição atualmente. "Seria legal dar continuidade a esse projeto em algum lugar que tivesse estrutura e que nos possibilitasse treinar sem qualquer risco no Brasil", disse a judoca.   

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
A intensidade do restabelecimento de nossas rotinas será gradual, mas voltar a se sentir atleta, voltar a se sentir vivo, me deixa muito feliz
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Maria Portela, judoca brasileira

TOTAL DE ATLETAS

Ao todo, 207 atletas de 15 diferentes modalidades irão participar do programa, que custará cerca de R$ 15 milhões. Questionado sobre a possibilidade de realizar uma espécie de bolha no Parque Olímpico da Barra da Tijuca, que foi o coração da Olimpíada do Rio de Janeiro, assim como a NBA faz no complexo de parques da Disney, Bichara afirmou que não seria possível, já que muitas adaptações teriam de ser feitas no local.

"Nos planos que o COB apresentou, antes dos Jogos Olímpicos Rio 2016, para a Prefeitura do Rio e para o Comitê Organizador dos Jogos, existia a previsão da construção de um refeitório e de um alojamento dentro do Parque Olímpico. Acreditamos que isso ainda seja possível, mas no momento não é. Como nós não dispomos de hospedagem e alimentação dentro do parque, esse sistema de bolha não se adequa", explica o dirigente.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Assim, todos os integrantes da delegação estão sendo testados até 72h antes do embarque, só podendo viajar caso apresentem resultado negativo para o PCR
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Jorge Bichara, diretor do COB

O local, fechado há mais de quatro meses em decorrência da pandemia, será reaberto na próxima segunda-feira, dia 20. Contudo, nem todos os atletas de alto rendimento poderão frequentar o Parque. Nesta primeira fase de reabertura, apenas atletas que residem no Rio de Janeiro e que já estão classificados para os Jogos de Tóquio – ou próximos de garantir a vaga – poderão utilizá-lo.

Segundo Bichara, o COB mapeou diversos países além de Portugal. A entidade, que já havia fechado um acordo com o comitê olímpico do país, visando à preparação para os Jogos Olímpicos de Paris, em 2024, optou por antecipar as relações com os portugueses devido ao cenário de combate à pandemia local. Um protocolo rígido de combate à covid-19 será seguido pelos atletas brasileiros que desembarcarem em solo lusitano.

"Junto com as autoridades portuguesas, o COB estabeleceu um protocolo de controle para identificar e prevenir a contaminação pelo novo coronavírus. Assim, todos os integrantes da delegação estão sendo testados até 72h antes do embarque, só podendo viajar caso apresentem resultado negativo para o PCR. Ao chegarem a Portugal, os membros da equipe seguirão direto para o Centro de Treinamento, onde serão novamente testados e ficarão em isolamento por 48h, até sair o resultado da sorologia. Aí então estarão aptos para atividades esportivas", afirma Bichara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.