Depois de suspensão de atleta grega, COI mira o técnico

O Comitê Olímpico Internacional (COI)impediu, nesta segunda-feira, a corredora de obstáculos gregaFani Halkia a participar dos Jogos de Pequim, assim que umteste antidoping da atleta deu positivo, e agora a entidadedisse que seu técnico deve ser investigado. O órgão também enviou o caso para a AssociaçãoInternacional de Federações de Atletismo (Iaaf) pedindo novasações que podem culminar com uma suspensão de dois anos para acorredora de 29 anos, que já deixou Pequim. "A comissão disciplinar do COI informarão o assunto àsautoridades gregas competentes, com um pedido para investigar apossível violação das leis daquele país, particularmente porparte do treinador George Panagiotopoulos", disse o COI em umcomunicado. A Grécia adotou novas e mais duras leis contra o dopingdesde um escândalo por substâncias proibidas nos Jogos deAtenas-2004, mas tem mostrado até agora pouca vontade paracumpri-las "O COI se reserva o direito de tomar sanções ou medidas emrelação ao treinador da atleta", completou o organismo. A decisão mostra uma mudança por parte do COI na políticade sanções por violações por doping, disposto a punir nãoapenas o atleta, mas também os que estão à sua volta, muitasvezes os responsáveis pelo fornecimento das substânciasproibidas.Panagiotopoulos já viu dois de seus atletas serem banidos dosJogos, uma vez que Dimitris Regas também deu positivo duassemanas antes do início da Olimpíada. Halkia, que defenderia o título olímpico nos 400 metros combarreiras, voltou para a Grécia no domingo, logo depois desaber da notícia do doping. De acordo com uma nova norma do COI, a corredora estaráautomaticamente fora dos Jogos de Londres caso sua pena desuspensão seja maior do que seis meses. A atleta deu positivo no dia 10 de agosto para um esteróideanabólico proibido, o methyltrienolone, mais conhecido como M3,quando estava no período de treinamentos, antes dos Jogos. Halkia foi a 19a. atleta grega a dar positivo desde abril,quando as autoridades de seu país incrementaram os controlesvisando a Olimpíada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.