Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Desconhecido, capixaba de 26 anos surpreende e faz índice olímpico na maratona

Na lista de favoritos para defender o Brasil na maratona dos Jogos Olímpicos do Rio não estava Valério de Souza Fabiano. Afinal, o capixaba de 26 anos nunca sequer apareceu no ranking brasileiro da distância, o que indica que jamais havia corrido no pelotão de elite. Mesmo assim, ele fez índice olímpico para o Rio-2016 ao completar, domingo, a Maratona de Valência.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Estadão Conteúdo

16 de novembro de 2015 | 14h28

O índice veio com uma marca expressiva: 2h15min10s, que coloca ele no terceiro lugar no ranking brasileiro, ficando atrás de Marilson Gomes dos Santos (2h11min00) e Solonei Rocha da Silva (2h13min15), que fizeram os índices em abril, respectivamente em Hamburgo (Alemanha) e Milão).

Fabiano, que era da Pé de Vento e atualmente defende o Instituto Internacional Correr Bem, do Rio, deixou para trás, entre outros, Franck Caldeira, que tem 2h16min35s. O campeão da São Silvestre de 2007 agora tem que correr abaixo de 2h15min até maio do ano que vem se quiser estar nos Jogos do Rio.

A tendência, entretanto, que pelo menos mais um brasileiro faça índice. Daqui a três semanas, Paulo Roberto de Paula corre em Fukuoka (Japão), para mostrar que ainda está entre os principais maratonistas do País. Logo que iniciou a carreira na distância, ele foi oitavo colocado nos Jogos Olímpicos de Londres-2012 e sétimo no Mundial de Moscou, em 2013. Depois, foi prejudicado por uma série de lesões e não completou mais nenhuma prova.

No feminino, Marily dos Santos correu abaixo do índice em Valência, com 2h40min40s, mas ela já tinha marca mais expressiva: 2h37min25s, feito em Sevilha, também na Espanha, em fevereiro. Ela só está abaixo de Adriana Aparecida da Silva, bicampeã dos Jogos Pan-Americanos, que tem 2h35min28s.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismomaratonaRio-2016Olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.