Robson Fernandes/ Estadão
Robson Fernandes/ Estadão

Nenê celebra atuação em amistoso e admite preocupação com Varejão

Pivô do Brasil anotou 22 pontos na vitória sobre a Romênia

Gabriel Melloni, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2016 | 09h50

A segunda vitória da seleção brasileira masculina de basquete na série de amistosos diante da Romênia, nesta segunda-feira, em São Paulo, teve Nenê como grande destaque. O pivô tomou conta do garrafão, principalmente no ataque, e foi fundamental para o triunfo por 96 a 50 ao marcar 22 pontos nos 19 minutos em que atuou. Feliz com o próprio desempenho, ele explicou os motivos do bom início de preparação para a Olimpíada do Rio.

"A temporada da NBA acabou cedo para mim, então comecei cedo a me cuidar. Tive uma conversa com o (Rubén) Magnano na temporada passada, o apoio de várias pessoas, o apoio técnico da seleção, que abriu as portas mais cedo para eu chegar e trabalhar... Então, agrega bastante ter gente estando do seu lado", declarou.

Nem mesmo a fragilidade do adversário batido duas vezes - no último sábado e, agora, na segunda-feira - pareceu importar para Nenê. "Não estamos olhando quem é o adversário. Queremos impor nosso esquema tático. Fizemos dois jogos diferentes taticamente contra a Romênia, visando situações futuras na Olimpíada", explicou.

O pivô, que recentemente se transferiu para o Houston Rockets na NBA, só mostrou preocupação ao falar de Anderson Varejão. Seu companheiro de garrafão sofreu um lesão nas costas que o tirou dos dois amistosos com a Romênia e seguiu aos Estados Unidos para passar por exames médicos. A possibilidade de corte é real e Nenê sabe a falta que Varejão faria, mas ele lembrou: "Não podemos controlar isso".

"É obvio que a gente sente com a ausência do Splitter, talvez do Anderson, que são jogadores de calibre altíssimos e amigos. Confiamos muito no trabalho deles. Mas sempre falo que a gente tem que pensar no que podemos controlar e tentar fazer da melhor forma possível. Temos um bom grupo, estamos tentando ajustar com as adversidades. Estamos deixando nosso melhor e vamos vivendo dia após dia", comentou, lembrando que Tiago Splitter já havia ficado de fora da convocação também por problema físico.

Caso Varejão de fato seja cortado, crescerá a responsabilidade dos outros pivôs do elenco, como Rafael Hettsheimeir. O jogador aparece como forte candidato a ganhar minutos em quadra sem o veterano e garantiu que está pronto para substitui-lo, mesmo que isso signifique voltar a atuar mais dentro do garrafão, estilo bem diferente do qual vinha jogando com a camisa do Bauru.

"Gosto de jogar na posição 4, na 5. Joguei bastante na 5 hoje, quase o jogo todo. Não tem diferença nenhuma, gosto de jogar nas duas posições", disse Hettsheimeir, que foi pego de surpresa com a notícia da viagem de Varejão. "Nem estou sabendo da ida dele para os Estados Unidos. Mas é uma peça importante e esperamos que se recupere logo para que esteja com a gente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.