Alexander Mianchuk / Reuters
Alexander Mianchuk / Reuters

Dirigente russo diz que país tem presença 'certa' nos próximos Jogos Olímpicos

Stanislav Pozdniakov apresentou o programa de preparação dos atletas do país para os Jogos de 2022

O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2018 | 16h21

A Rússia estará presente nos próximos Jogos Olímpicos, seja nos de Verão ou nos de Inverno. Isso é o que garante o presidente do Comitê Olímpico Russo (ROC, na sigla em russo), Stanislav Pozdniakov, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, em Moscou, após apresentar o programa de preparação dos atletas do país para a Olimpíada de Inverno de 2022, que será realizada em Pequim, na China.

"Trabalhamos constantemente no aperfeiçoamento da cultura antidoping no país. Tenho certeza que todas nossas iniciativas em relação a esse tema vão permitir que nossos atletas participem plenamente dos próximos Jogos", completou o dirigente. Os próximos Jogos Olímpicos serão os de Verão em Tóquio, no Japão, em 2020.

Em uma resposta ao escândalo de doping institucional no país, concretizado pela manipulação de exames antidoping durante os Jogos de Inverno de Sochi, em 2014, a Rússia foi obrigada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) a participar da Olimpíada de 2018, em PyeongChang, na Coreia do Sul, sob bandeira neutra. O país só foi reintegrado pelo COI três dias depois da cerimônia de encerramento.

Estas declarações surgem em um momento em que uma delegação da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) se encontra em Moscou desde a última segunda-feira para realizar uma auditoria da Agência Russa Antidoping (Rusada, na sigla em russo).

A Wada retirou a suspensão da Rusada em 20 de setembro, mas exigiu que o governo do presidente Vladimir Putin lhe dê acesso, antes do próximo dia 31, aos dados dos exames realizados na época do doping institucional (entre 2011 e 2015) no país. A entidade antidoping ameaça colocar em prática novas sanções caso o pedido não seja aceito. Na teoria, isso poderia levar a uma nova suspensão da Rússia nos Jogos Olímpicos.

 

 

Mais conteúdo sobre:
RússiaOlimpíada 2020 Tóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.