Cinara Piccolo|Photo&Grafia
Cinara Piccolo|Photo&Grafia

Discípulo continuará trabalho de Jordi Ribera no handebol masculino

Washington Nunes, que era assistente do espanhol, assume o comando da seleção

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

02 Outubro 2016 | 05h00

Enquanto diversas modalidades discutem a troca de comando para o próximo ciclo olímpico, a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) já definiu o sucessor do espanhol Jordi Ribera na seleção masculina: Washington Nunes. O novo treinador, que atuou como assistente técnico da equipe nacional entre 2013 e 2016, tem a chance de dar continuidade ao trabalho do estrangeiro e destaca a capacitação dos brasileiros após o intercâmbio. 

"A gente tem um grupo de treinadores qualificados, o apoio que tivemos dos estrangeiros foi fundamental, aprendemos bastante e acredito que a gente tenha bastante competência para colocar tudo isso em prática agora", afirma. 

A seleção masculina, que conseguiu a inédita classificação para as quartas de final nos Jogos do Rio, tem um importante compromisso pela frente. De 11 a 29 de janeiro de 2017, disputará o Mundial de Handebol, na França. "Nesse momento, não pensamos em buscar um técnico estrangeiro. Estamos no meio das atividades, seria uma precipitação. A gente trabalha com projetos a médio e longo prazos. O Washington tem grandes possibilidades de levar essa tarefa com êxito", diz o presidente Manoel Luiz Oliveira. 

O dirigente reconhece a importância da troca de experiências para o desenvolvimento da modalidade no País, mas ressalta que agora "não teria escolha mais oportuna do que efetivar o professor Washington".

O contrato do treinador com a seleção masculina termina no dia 31 de janeiro de 2017. Uma reunião no término desse prazo está programada para avaliar se ele permanecerá no comando. "Pode ser que a gente estenda o vínculo para o ciclo olímpico inteiro, até 2020, ou pode ser que entenda que ainda há a necessidade de um treinador estrangeiro", explica Nunes.

Mais conteúdo sobre:
Jogos Olímpicos Handebol Olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.