Fábio Chey / CPB
Fábio Chey / CPB

Disputa de bronze no badminton e maratonas: confira os destaques do último dia da Paralimpíada

Brasil pode alcançar e superar as 72 medalhas conquistadas nos Jogos do Rio de Janeiro

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2021 | 16h00

Se já tem a melhor campanha da história em Paralimpíadas com 22 ouros, o Brasil ainda pode alcançar e quem sabe outro recorde, o de número de medalhas, para coroar de vez a campanha na Tóquio-2020. Com 71 conquistas até o momento, o Brasil chega lá caso vença a disputa de bronze no badminton ou tenha algum dos corredores no pódio nas maratonas.

Neste sábado, o Brasil conquistou dois ouros, no futebol de cinco e na canoagem, e chegou a 22 ouros, superando a campanha de Londres-2012, quando alcançou 21 medalhas douradas. No Rio, o Brasil esteve presente em 72 pódios, sendo 14 deles no lugar mais alto. Confira quais são as últimas competições com brasileiros dos Jogos de Tóquio e se programe para assistir (sempre no horário de Brasília).

BADMINTON

A chance mais clara do Brasil para a medalha que falta é no badminton: Vitor Tavares disputa o bronze às 23h30 contra o britânico Krysten Coombs, pela classe SH6 (atletas com acondroplasia, ou seja, anões). A disputa é difícil: Coombs já foi vice-campeão mundial e campeão europeu.

MARATONAS

O Brasil terá representantes em quatro das cinco maratonas. A melhor chance de medalha é a de Edneusa Dorta, que corre a prova da classe T12 (atletas cegos ou que enxergam apenas vultos), na qual foi bronze no Rio e prata no Mundial em 2019. A disputa começa às 18h50 e contará com outra brasileira, Edilene Boaventura.

Além de Edneusa e Edilene, Vanessa Cristina estará na maratona da classe T54 (atletas cadeirantes com lesão na coluna), que começa às 18h40. Alex Pires corre a da classe T46 (atletas amputados) também às 18h50. Por fim, já com duas medalhas de ouro em Tóquio, Yeltsin Jacques corre a maratona T12 masculina, mais uma prova que começa às 18h50, uma prova na qual não é especialista.

CERIMÔNIA DE ENCERRAMENTO

A festa que encerrará a Paralimpíada de Tóquio começa às 8h da manhã e está previsto para durar até as 10h30. No Brasil, o evento será transmitido pelo SporTV 2, com narração de Sergio Arenillas e comentários de Verônica Hipólito e Clodoaldo Silva. Depois do encerramento, a Paralimpíada retorna em Paris em 2024.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.