Manan Vatsyayana/AFP
Manan Vatsyayana/AFP

Dueto brasileiro do nado artístico fica em 7º na final da rotina livre do Mundial

O ouro na prova ficou com a dupla russa formada por Mayya Gurbanderdieva e Aleksandr Maltsev

Redação, Estadão Conteúdo

20 de julho de 2019 | 10h52

O Brasil repetiu o desempenho das eliminatórias e terminou, neste sábado, em sétimo lugar na final do nado artístico na categoria dueto misto rotina livre do Mundial de Esportes Aquáticos, que está sendo realizado na cidade de Gwangju, na Coreia do Sul.

Com uma apresentação em homenagem ao Cirque du Soleil, usando três canções do espetáculo Zumanity, a dupla Giovana Stephan e Renan Alcantara fechou a participação na competição conseguindo 81,2333 pontos, pontuação um pouco melhor do que o Mundial de 2017, em Budapeste, na Hungria, quando os dois também conquistaram o sétimo posto.

Renan e Giovana participaram da segunda prova no Mundial. Na última quarta-feira, os brasileiros também alcançaram o sétimo lugar na final da rotina técnica, modalidade um pouco mais rígida na apresentação, de modo que os elementos são obrigatórios e muito semelhantes entre todos os competidores.

O ouro na rotina livre ficou com a Rússia, representada por Mayya Gurbanderdieva e Aleksandr Maltsev, que conseguiram 92.9667 pontos e superaram os italianos Manila Flamini e Giorgio Minisini, donos da prata, com 91.833 pontos. Com Yumi Adachi e Atsushi Abe, o Japão somou 90.4000 pontos e levou o bronze. O nado misto não está no programa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Em outra disputa com brasileiros neste sábado, Luiz Felipe Santos e Tammy Galera ficaram na 16ª colocação na final do trampolim misto 3m. A dupla do Brasil conseguiu um somatório de 249,30 pontos, à frente apenas da dupla do Chile e dos egípcios. Tammy Galera já havia disputado outra final neste Mundial. Ao lado de Isaac Souza, a atleta brasileira terminou em 15º lugar na prova por equipes mistas dos saltos ornamentais.

Os australianos Matthew Carter e Maddison Keeney faturaram o ouro. Em uma disputa muito apertada, os atletas da Austrália somaram 304,86 pontos e superaram, por pouco, os canadenses Francouis Imbeau-Dulac e Jennifer Abel, que fizeram 304,08 pontos. Com 301,62, os alemães Lou Massenberg e Tina Punzel completaram o pódio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.