Dunga aprova atuação brasileira e justifica 6 substituições

O técnico Dunga gostou do desempenhodo Brasil na vitória por 3 x 0 sobre Cingapura, nestasegunda-feira, em amistoso preparatório para os Jogos dePequim, e explicou que fez todas as alterações possíveis --semcontar o goleiro-- para preservar os atletas. "A seleção soube tocar bem a bola, os jogadores buscaram amaior aproximação durante grande parte do jogo e as viradas debola aconteceram nos momentos certos. Achei muito bom odesempenho do time", disse Dunga, segundo o site daConfederação Brasileira de Futebol (CBF). Durante a partida, no entanto, a seleção mostrou poucoentrosamento e insistiu pelas jogadas no meio-campo. Mesmoassim, conseguiu marcar três gols na fraca equipe de Cingapura,com Diego, Ronaldinho Gaúcho e Jô. Com dores musculares, Diego foi substituído no intervalo,assim como o zagueiro Thiago Silva, que sentiu dores napanturrilha no treino de domingo. Ao longo do segundo tempo, Dunga fez mais quatro mudanças.O único jogador que não entrou em campo foi o goleiro DiegoAlves. "Havia jogadores que estavam há algum tempo sem atuar, masa intenção foi preservar a maioria, não submetê-los a um riscodesnecessário às vésperas das Olimpíadas", declarou Dunga. Sem jogar há cinco meses, Ronaldinho ficou em campo o tempotodo. A idéia inicial era substituir o recém-contratado peloMilan, mas o jogador disse ter se sentido bem. "Ele iria sair para fazer um treinamento à parte. Mas, comoestava bem no jogo, resolvemos deixá-lo até o final, para irganhando ritmo", explicou o treinador brasileiro. O preparador físico Paulo Paixão disse que, do banco, ojogador era perguntado sobre suas condições. "Ele apresentouapenas um cansaço normal, para quem estava há muito tempo semjogar, mas sem nenhuma dor localizada. Para ele foi muito bomficar até o final", disse Paixão. Ele considera que a seleção de Cingapura, apesar de suafragilidade técnica, foi um adversário adequado para o Brasiltestar sua capacidade física. "Nesse aspecto, o amistoso foi muito importante. O time deCingapura está em atividade, e pela correria em campo, exigiudemais da seleção brasileira fisicamente", comentou opreparador físico. Para um primeiro amistoso, depois de cinco dias detreinamento e adaptação ao fuso horário, Paixão ficou otimistaem relação ao que poderá acontecer nas Olimpíadas. A estréiaacontece dia 7 de agosto, contra a Bélgica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.