Martin Meissner / AP
Martin Meissner / AP

Elaine Thompson-Herah fatura o ouro nos 100 metros em pódio com três jamaicanas em Tóquio

Façanha da Jamaica foi festejada por Usain Bolt, tricampeão olímpico da prova no masculino

Redação, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2021 | 11h10

A jamaicana Elaine Thompson-Herah ratificou o título olímpico nos 100 metros conquistado na Rio-2016, ao vencer a prova, neste sábado, nos Jogos Olímpicos de Tóquio, com direito a recorde olímpico. A atleta, de 29 anos, teve a companhia das compatriotas Shelly-Ann Fraser-Pryce (prata) e Shericka Jackson (bronze) no pódio.

Elaine completou a tradicional prova em 10s61, superando em um centésimo de segundo o tempo obtido pela norte-americana Florence Griffith Joyner, em Seul-1988. O recorde mundial (10s49), também de Joyner, há 33 anos, permanece em evidência.

"Meu peito dói de tanto que eu gritei. Estou tão feliz. Eu passei por tanta coisa. Meu Deus, estou sem palavras. Estou grata por conseguir me preparar bem e vir aqui defender meu título. Eu sei que tinha esse tempo (do recorde) em mim. Passei por altos e baixos por causa de lesões, mas Deus me ajudou. Mantive a fé todo esse tempo. Ainda não sei como vou lidar com isso (de ser uma lenda jamaicana)", afirmou Elaine.

Shelly-Ann deixou escapar  pela segunda vez o inédito tri olímpico. Campeã em Pequim-2008 e Londres-2012, a atleta foi bronze na Rio 2016 e agora somou uma prata.

O feito foi festejado pelo lendário Usain Bolt, tricampeão olímpico da prova, que postou nas redes sociais três bandeiras da Jamaica e escreveu: "1,2,3." Na sequência, ele ainda postou uma foto de Elaine Thompson-Herah, Shelly-Ann Fraser-Pryce e Shericka Jackson.

 

ESTREIA

O quarteto polonês conquistou o ouro na estreia do revezamento 4x400m misto em olimpíadas, com o tempo de 3min09s87. A prata ficou com a República Dominicana (3min10s21), que completou a prova um centésimo de segundo à frente dos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.