Fabio Motta|Estadão
Fabio Motta|Estadão

Elisa passa madrugadas vendo jogos de Calderano pela internet

Mãe assiste às partidas do filho, que mora na Alemanha

Marcio Dolzan, O Estado de S. Paulo

08 de maio de 2016 | 07h00

Mãe do mesa-tenista Hugo Calderano, a professora Elisa Borges vibra com o fato de conseguir comemorar seu dia ao lado do filho. "A gente perdeu a conta do último Dia das Mães que passamos juntos. Este ano é um presente olímpico ele estar aqui comigo", disse. O atleta de 19 anos mora na Alemanha, e saiu de casa para seguir a carreira no esporte aos 14. "Eu terminei de educar o meu filho através da internet", conta a mãe. 

É através da rede mundial de computadores, aliás, que ela acompanha a todos os jogos do filho. "A gente brinca que eu nunca fiquei uma noite em claro esperando ele voltar da balada, mas em compensação já perdi as contas das vezes que eu passei a madrugada assistindo aos jogos dele lá do outro lado do mundo", relata Elisa.

Hugo Calderano agradece a torcida. "Ela sempre me apoia muito, está sempre torcendo nos jogos. Mesmo eu morando na Alemanha, ela sempre acompanha os jogos quando passa a transmissão ao vivo, mesmo que seja de madrugada. Essa torcida é muito importante", afirma o atleta.

Quando a torcida é presencial, porém, os "excessos" chegam a incomodar. "No começo eu não gostava muito - quer dizer, ainda não gosto - quando ela grita muito, mas ela se acostumou e eu também me acostumei com o jeito dela, e a gente acha um meio-termo."

Essa torcida presencial será vista novamente nos Jogos do Rio. "A gente não sabe ainda quais os dias certinhos que ele vai jogar, e por conta disso a gente comprou todas as possibilidades de dias e horários pra assistir, e vamos estar lá torcendo pra ele e para os outros atletas do Brasil", afirma Elisa.

Mesmo que o Brasil não avance muito na competição, os ingressos já adquiridos valerão a pena. "Depois de mais de dez anos acompanhando o tênis de mesa a gente aprendeu a amar o esporte, então hoje eu assisto a uma partida de tênis de mesa mesmo que ele (Hugo) não esteja jogando com prazer enorme de curtir o jogo mesmo", relata a mãe do atleta olímpico.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.