Gaspar Nóbrega/COB
Gaspar Nóbrega/COB

Apesar do começo bom, João Menezes leva virada de Cilic e se despede da Olimpíada

Tenista brasileiro vence o primeiro set, mas não é páreo para o adversário croata, que leva os dois sets seguintes e se classifica para a próxima fase do torneio

Redação, Estadão Conteúdo

24 de julho de 2021 | 09h03

Em um jogo absolutamente maluco, repleto de surpreendentes viradas e que se transformou em uma batalha física e emocional, João Menezes foi derrotado de virada por 2 sets a 1 por Marin Cilic e se despediu dos Jogos Olímpicos de Tóquio na primeira rodada. O experiente croata, que já ganhou Grand Slam, venceu com parciais de 6/7 (5/7), 7/5 e 7/6 (9/7) após 3h23 de disputa na quadra dura no Japão.

João Menezes largou bem ao ganhar o primeiro set. Na segunda parcial, o brasileiro chegou a sacar para fechar a partida, mas desperdiçou a oportunidade e viu o rival protagonizar uma virada fantástica ao fazer nove games seguidos entre o segundo e o terceiro set.

O brasileiro, atual 217º colocado do ranking mundial, fez um ótimo primeiro set, explorando os erros de Cilic, que é conhecido pelo saque potente, mas cometeu duplas faltas em momentos importantes. O brasileiro levou a primeira parcial para o tie-break e ganhou por 7/5.

No segundo set, João Menezes continuou consistente, errando pouco e conseguiu uma quebra na metade da parcial. Ele abriu 5 a 3 e teve a oportunidade de fechar o jogo sacando. No entanto, teve o serviço quebrado e viu Cilic, número 36 do ranking da ATP, protagonizar uma escalada a partir daí.

Agressivo, o grandalhão croata faturou os três games seguintes para ganhar o segundo set. Ele se arriscou e a coragem deu resultado, já que acertou 11 bolas vencedoras contra apenas quatro do brasileiro, muito acuado e limitando a se defender. Confiante, Cilic deu sinais de que atropelaria João Menezes no último set ao abrir 5 a 0. Mas ele não só não aplicou um "pneu" (vencer a parcial sem perder um game sequer) como viu o brasileiro protagonizar uma reação inacreditável.

João se aproveitou das duplas faltas e dos erros não forçados do oponente, ganhou confiança, encaixou seu forehand e conseguiu a façanha de vencer seis games consecutivos. Ele teve um match point e não aproveitou. Na montanha-russa que foi o jogo, Cilic, então abatido, se reabilitou e levou o duelo para o tie-break. Na decisão, o tenista da Croácia, após acertos e erros dos dois lados, levou a melhor e saiu de quadra com a vitória no confronto, marcado por reviravoltas improváveis. João foi derrotado, mas deve sair de cabeça erguida, já que exibiu um grande tênis e esteve muito perto do triunfo. Fez a diferença, sobretudo, no fim, a força mental.

DUPLAS

Na chave de duplas, Marcelo Melo e Marcelo Demoliner fizeram uma boa partida diante de Nikola Mektic e Mate Pavic, que lideram o ranking mundial entre os duplistas, mas não foram páreos para a parceria da Croácia. Os europeus ganharam o equilibrado confronto por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (8/6) e 6/4 após 1h37 de jogo.

Vale ressaltar que Marcelo Melo formaria dupla em Tóquio com Bruno Soares, mas o mineiro de 39 anos teve de ser submetido a uma cirurgia de apendicite às pressas, quando havia acabado de chegar ao Japão, e foi cortado da Olimpíada.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.