Em meio a escândalo, dois levantadores de peso russos são suspensos por doping

Alexei Slyutin e Yekaterina Vlasova foram suspensos do esporte por 18 meses

Estadão Conteúdo

20 de julho de 2016 | 09h15

O escândalo de doping do esporte russo não tem fim. Na semana em que a participação do país na Olimpíada do Rio será definida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), após a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) confirmar a participação do governo local em um grande esquema de doping, mais dois atletas da Rússia foram punidos por uso de substâncias proibidas.

Mais uma vez, as punições aconteceram no halterofilismo. Os levantadores de peso Alexei Slyutin, que já foi faturou o Europeu Sub-23 da modalidade, e a atual campeã nacional Yekaterina Vlasova foram suspensos do esporte por 18 meses. A confirmação foi da agência antidoping da Rússia.

O órgão não divulgou maiores detalhes sobre os casos. Tanto Selyutin quanto Vlasova dificilmente estariam nos Jogos Olímpicos do Rio, mas ainda assim os novos casos de doping são mais um duro golpe ao halterofilismo russo em meio a uma série de casos e escândalos.

O halterofislismo do país, aliás, vive a possibilidade de ser excluído dos Jogos Olímpicos do Rio depois que três medalhistas nas edições de Pequim-2008 e Londres-2012 foram flagrados no doping. O caso ainda será estudado e a modalidade pode seguir o exemplo do atletismo russo, excluído do evento pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF).

Em meio a tudo isso, a própria Rússia pode ser excluída de todas as competições no Rio. Pelo menos foi isso que sugeriu a Wada depois de liderar uma investigação particular que confirmou a participação do governo do país em um grande esquema de doping antes e durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 em Sochi. O COI prometeu se manifestar sobre o caso neste fim de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.