Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Em meio a problemas na Vila Olímpica, mais 200 atletas chegam nesta terça

Ao fim do dia, expectativa é de que o alojamento conte com 2.391 integrantes

Nathalia Garcia - Enviada especial ao Rio, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2016 | 11h13

A Vila Olímpica do Rio de Janeiro receberá mais 791 pessoas nesta terça-feira, sendo 200 atletas. Ao fim do dia, a expectativa é de que o alojamento dos Jogos Olímpicos conte com a presença de 2.391 integrantes - 600 atletas - de 129 países. Nove representantes dos saltos ornamentais da delegação brasileira darão entrada no local e se juntarão aos outros 61 integrantes de diferentes modalidades, como levantamento de peso, futebol feminino, hóquei sobre grama, entre outros.

O local tem sido alvo de reclamações dos estrangeiros. No domingo, a Austrália classificou o alojamento como "inabitável" e abandonou a Vila em busca de uma acomodação provisória. Na noite desta segunda-feira foi a vez de alguns membros da delegação sueca deixarem os apartamentos e seguirem de táxi para um condomínio próximo ao Parque Olímpico.

Até a madrugada desta terça-feira foram revisados 21 prédios - incluindo a residência da Austrália. A previsão dos organizadores é que as outras dez torres passem por uma inspeção até quinta-feira. Para resolver as pendências até o fim da semana, 600 novos funcionários foram contratados. Encanadores, eletricistas e trabalhadores da área de limpeza atuam em três turnos.

Os problemas estruturais da Vila Olímpica têm gerado repercussão em todo o mundo. "Procura-se encanador" foi a manchete do jornal esportivo espanhol "Marca" nesta terça-feira. O chefe da delegação espanhola, Cayetano Cornet, disse ao diário que nunca viu problema semelhante nas sete Olimpíadas que participou. Vazamentos de água e gás, sujeira e problemas de eletricidade estão entre as principais reclamações.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos OlímpicosAustráliaRIo 2016

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.