'Em nenhum dia velejamos bem', admite Scheidt

Junto com Bruno Prada, brasileiro ocupa a oitava posição na classificação da classe Star em Pequim

Agência Estado

18 de agosto de 2008 | 08h27

Esperança de medalha de ouro para o Brasil na vela, a dupla formada por Robert Scheidt e Bruno Prada ocupa atualmente a 8ª posição na classificação geral da classe Star na Olimpíada de Pequim, depois de sete regatas realizadas em Qingdao. Ainda há chance de chegar ao pódio, mas Scheidt está preocupado.    Veja também: Scheidt e Prada se recuperam e seguem na briga por medalha "Até agora, foi um campeonato difícil para nós. Em nenhum dia velejamos bem", admitiu o iatista, que é bicampeão olímpico na classe Laser. Ainda faltam três regatas antes da Medal Race, a última regata da competição, que irá reunir apenas os 10 melhores barcos e definirá os três medalhistas.  "Precisamos encaixar melhor nossas escolhas", disse Scheidt, que também tenta explicar a atuação da dupla até agora. "Um pouco é falta de sorte, outro tanto é falta de entrosamento com a raia e tem também o ritmo da virada do vento." Nesta terça-feira, estão previstas duas regatas na classe Star. "Agora devemos ser mais agressivos na largada. E ir com a flotilha, não se afastar", afirmou Scheidt.  "Se a gente tiver um dia todo velejando bem, entra no bolo. O importante agora é pensar em medalha." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.