Em protesto, jogador indiano não carregará tocha olímpica

Bhaichung Bhutia, capitão da seleção de futebol, é o primeiro atleta a recusar o convite por causa do Tibete

Ansa

01 de abril de 2008 | 10h35

O capitão da seleção de futebol indiana, Bhaichung Bhutia, disse que se recusará a carregar a tocha olímpica quando a mesma chegar à Índia em 17 de abril, em sinal de protesto contra a repressão chinesa no Tibete. Buthia, de 31 anos, que é budista, disse ao jornal Times of India que enviou uma carta ao Comitê Olímpico indiano "em sinal de solidariedade" ao povo tibetano. "Sou simpatizante da causa tibetana. Tenho muitos amigos que são budistas. É a minha maneira de apoiar o povo do Tibete e sua luta", disse Buthia, que já atuou na Inglaterra e na Malásia e ajudou a promover o futebol na Índia. Até agora, o Comitê Olímpico da Índia ainda não comentou o assunto, e disse não ter recebido nenhum comunicado a respeito. Ao contrário de Buthia outros atletas indianos, como P.T. Usha, Milkha Singh e Gurbachan Singh Randhawa, aceitaram o convite para carregar a tocha. "Sei o que está acontecendo no Tibete, mas o governo indiano não está protestando, porque deverei fazê-lo?", questionou o ex-corredor Randhawa. Na semana passada, jovens do Tibetan Youth Congress, organização separatista de tibetanos no exílio, pediram ao ator de Bollywood Aaamir Khan, conhecido por sua luta em defesa do meio ambiente, que não aceite o convite para carregar a tocha olímpica. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.