Fabrice Coffrini/AFP
Fabrice Coffrini/AFP

Em reunião no COI, Tóquio-2020 confirma arenas e agenda de competição

Comitê garante que estrutura não sofrerá mudanças em razão do novo coronavírus

Redação, Estadão Conteúdo

17 de julho de 2020 | 10h50

Em uma reunião da 136.ª sessão da Assembleia Geral do Comitê Olímpico Internacional (COI), em Lausanne, na Suíça, o Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio-2020 confirmou nesta sexta-feira que todos os locais de competição, a Vila Olímpica e as instalações de imprensa estarão disponíveis para utilização em 2021. Com tudo liberado, a agenda de competições também manterá a base programada originalmente.

Após o anúncio em março passado do adiamento da Olimpíada, que começaria no próximo dia 24, para o próximo ano por causa da pandemia do novo coronavírus, o COI e o Comitê Organizador começaram a trabalhar para viabilizar tudo para as novas datas do evento. A cerimônia de abertura, no reformado estádio Nacional de Tóquio, será em 23 de julho de 2021, mas as competições serão iniciadas dois dias antes.

Em 21 de julho, às 9 horas locais (final da noite do dia 20 no Brasil), em Fukushima, os Jogos Olímpicos começarão com uma rodada da fase de grupos do softbol. De acordo com o Comitê Organizador, poucos eventos tiveram seus calendários alterados por conta do adiamento.

O maior desafio dos organizadores era mesmo assegurar a disponibilidade da Vila Olímpica em Tóquio. Isso porque cerca de 25% dos 4.000 apartamentos já tinham sido vendidos e seriam entregues após as Paralímpiadas, que se encerrariam no dia 6 de setembro de 2020. De acordo com a imobiliária que negociou os imóveis, algumas unidades haviam sido negociadas por valores na casa de R$ 7,7 milhões. Os proprietários agora só terão acesso aos imóveis um ano após a previsão inicial.

Outro ponto abordado na reunião foi com relação aos ingressos já vendidos. Segundo o Comitê Organizador, todos são válidos para 2021, mas quem quiser pode receber o dinheiro de volta a partir do final de setembro.

Questionado sobre os custos da operação que viabilizou a utilização de todas as instalações um ano depois do previsto, os organizadores disseram que ainda estão fazendo o levantamento de todas as despesas.

Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador, insistiu no conceito de "simplicidade" nos Jogos de Tóquio-2020. "Serão diferentes de qualquer outro. Temos que nos concentrar na simplicidade. Todas as partes devem revisar seus objetivos", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.